Portuguese, Brazilian subtitles

← O que ser lésbica e presidente da associação de universitárias me ensinou sobre irmandade | Jacki Bradshaw | TEDxOU

Get Embed Code
11 Languages

Showing Revision 17 created 04/07/2020 by Maricene Crus.

  1. Só preciso de um momento.
  2. Bom dia, pessoal.
  3. Em maio de 2014, foi lançado
    um documentário sobre a vida de Shannon.
  4. Desde então, ela se tornou um fenômeno
    nas redes sociais e no YouTube.
  5. Sua vida e sua história impactaram
    pessoas no mundo inteiro.
  6. Nesse documentário,
    Shannon contou sobre a vida dupla
  7. que ela achava que precisava
    viver durante a faculdade.
  8. De um lado, ser participante orgulhosa
    e ativa da associação de universitárias
  9. e do outro, ser lésbica.
  10. Apesar da história de Shannon
    ser incrivelmente inspiradora,
  11. ela não é única.
  12. Há muitas pessoas em faculdades
  13. que sentem como se precisassem
    viver uma vida dupla
  14. para manter seus status social
    dentro da instituição.
  15. E eu era uma dessas pessoas.
  16. Oi, eu sou a Jacki.
  17. Tenho orgulho de fazer parte
    da comunidade grega.
  18. Sou ex-presidente de uma associação
    de universitárias e sou lésbica.
  19. Eu aceitei minha sexualidade no verão
    depois do meu segundo ano na faculdade.
  20. Foi em um momento em que eu estava
    estabelecida na minha universidade,
  21. era líder na associação
  22. e parecia que me tornaria
    a próxima presidente.
  23. E foi nessa mesma época que,
    pelo medo do desconhecido,
  24. e pela incrível sensação de isolamento,
  25. decidi esconder minha sexualidade
    de todos à minha volta.
  26. Há muitos estereótipos
    ligados à comunidade grega.
  27. A expectativa é de que serão pessoas
    brancas, loiras, privilegiadas,
  28. ricas e heterossexuais,
  29. que só querem beber,
    dar trotes em calouros e transar.
  30. Muito desse estereótipo
    está sendo ativamente combatido
  31. a nível internacional, nacional e local,
  32. mas a discussão sobre todos serem hétero
  33. ainda não veio à tona.
  34. E é devido à inexistência dessa discussão
    que eu quis dar essa palestra.
  35. Na verdade, eu recebi a validação
    de uma das minhas melhores amigas.
  36. Ela me enviou uma mensagem porque
    explicava sobre o que seria a palestra
  37. para uma pessoa aleatória
    da universidade dela
  38. e essa pessoa estava passando
    pela mesma situação que eu passei.
  39. Essa é minha história sobre como é
    não marca a opção "Hétero".
  40. Porque, sinceramente, se pesquisarem
    no Google "grego e gay"
  41. o que encontrarão logo de cara,
    se é que encontrarão alguma coisa,
  42. é metade dos artigos sobre
    membros de fraternidades
  43. seja aceitando ou rejeitando
    seus membros gays,
  44. mas nada específico sobre lésbicas.
  45. E não é surpreendente que se pesquisarem
    sobre lésbicas e "sororidades",
  46. geralmente vão encontrar pornografia,
  47. (Risos)
  48. e um artigo anônimo
  49. sobre como é estar no armário
    na sua associação de universitárias.
  50. Não há muito a respeito.
  51. Eu não marco aquela opção.
  52. Eu não sou hétero.
  53. E estou aqui para contar o que acontece.
  54. Várias coisas começaram
    a acontecer comigo.
  55. Quando finalmente tive coragem
    para contar para as pessoas,
  56. eu me lembro especificamente
    de duas garotas da minha associação.
  57. Uma delas é a pessoa mais católica
    e mais republicana que conheci na vida.
  58. E pensei: "Bem, se ela pode me amar,
    qualquer outra pessoa poderá também".
  59. E, para minha surpresa,
  60. ela me aceitou completamente
    sem pensar duas vezes
  61. e tem sido minha maior defensora até hoje.
  62. E quando contei
    a outra garota da associação,
  63. eu estava muito nervosa
    com um encontro que eu tinha pra ir,
  64. e ela percebeu que algo
    estava acontecendo.
  65. Ela me ajudou em relação àquilo
    e mais tarde me enviou uma mensagem
  66. que até hoje me faz chorar de alegria,
    e uma das frases dela era:
  67. "Jacki, nunca te amei
    por você ser hétero.
  68. Eu te amo porque você é você".
  69. E ao começar a sair do armário
    para muitas pessoas,
  70. fui sendo apresentada a mulheres
    que eram como eu.
  71. Comecei a sentir que não estava sozinha,
  72. e me tornei mentora para algumas delas,
  73. porque elas estavam começando
    a explorar a sexualidade delas
  74. e passando por aquilo
    se sentindo completamente sozinhas.
  75. Mas a diferença é que eu pude
    ajudá-las desde o início.
  76. Tenho visto progressos,
  77. programas de aliados gregos
    sendo criados em diferentes faculdades,
  78. treinando pessoas para aprenderem
    a ser defensoras, aliadas,
  79. alguém que possa apoiar
    aqueles à sua volta.
  80. Tenho visto as regras para
    acompanhantes em festas mudarem
  81. até não terem mais
    especificações de gênero.
  82. Você pode levar quem quiser,
  83. e vi mulheres usarem isso
    para levarem a namorada delas
  84. ou qualquer pessoa
    com quem estivessem saindo.
  85. E outra coisa que eu mais queria comentar.
  86. Embora possa ser desconcertante,
  87. para todas as pessoas para quem
    contei em todos os meus grupos,
  88. mas principalmente na comunidade grega,
  89. elas me aceitaram de imediato,
  90. sem questionar,
  91. porque me amam de verdade como pessoa.
  92. Nunca me amaram por ser hétero.
  93. E por causa disso, tive coragem suficiente
  94. pra encarar meu grupo da associação
    e sair do armário,
  95. o que acabou com aplausos retumbantes
  96. e com uma piadinha: "Não se preocupe,
    não darei em cima de você".
  97. (Risos)
  98. Mas agora que estou do outro lado,
  99. me tornei uma líder,
    uma irmã e uma pessoa melhor.
  100. Porque quando se vive uma vida dupla,
  101. não são duas de você
    em dois mundos diferentes;
  102. é metade de você tentando
    manter duas identidades,
  103. o que é emocionalmente
    e fisicamente exaustivo.
  104. E se você não for completamente você,
  105. não tem como ser a pessoa
    que realmente quer ser.
  106. Como contei para algumas
    das mulheres que orientei,
  107. eu queria ter sido honesta desde o início.
  108. Queria ter contato
    às garotas da irmandade
  109. assim que aceitei essa parte de mim mesma.
  110. Queria ter dado a elas a chance
    de provarem que eu estava errada
  111. em relação aos meus medos e à ideia
    de me tornar uma pária social,
  112. como elas têm provado hoje.
  113. Os tempos estão mudando,
  114. e está na hora de mudar com eles.
  115. Obrigada.
  116. (Aplausos)