YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← Como a revolução do Smartphone da Índia está a criar uma nova geração de leitores e escritores

Get Embed Code
33 Languages

Showing Revision 6 created 02/05/2019 by Margarida Ferreira.

  1. Olhem à vossa volta.
  2. Quer estejam no metro, num parque,
    num aeroporto, num restaurante,
  3. ou mesmo nesta conferência,
  4. todos têm um telemóvel na mão,
    ou talvez na algibeira.
  5. Quem aqui tem um livro?
  6. Muito poucos, não é?
  7. A imagem que costumava
    cumprimentar-me
  8. sempre que eu saía
    do edifício do meu escritório.
  9. era estar rodeada por um mar
    de uns 20 profissionais
  10. colados aos telemóveis.
  11. Nenhum deles tinha um livro na mão.
  12. Isso fazia com que eu ficasse
    muito frustrada.
  13. Eu sempre fui um rato de biblioteca
    toda a vida.

  14. Os livros foram os marcos da minha vida.
  15. O primeiro homem por quem
    me apaixonei foi Mr. Darcy.
  16. Li "Harry Potter" pela primeira vez
    quando tinha 21 anos,
  17. numas férias de verão da faculdade.
  18. Lembro-me da primeira noite
    que passei num pequeno apartamento
  19. que comprei aos 20 e tal anos,
    com muito orgulho,
  20. e passei a noite inteira
    a ler "O Código Da Vinci".
  21. Mas vou fazer uma confissão horrível.
  22. ainda hoje, quando estou em baixo,
    vou para a cama com "Guerra e Paz"
  23. Não se riam.
  24. (Risos)

  25. Mas eu também era como
    aquelas pessoas à minha volta.

  26. Também vivia para o meu telemóvel.
  27. Encomendava a mercearia "online"
  28. e, em breve, a minha aplicação sabia
  29. que eu precisava
    duma dose mensal de fraldas.
  30. Reservava os cinemas pelo telemóvel,
  31. reservava os voos pelo telemóvel.
  32. Quando fazia os longos transbordos
    de volta a casa,
  33. como a maioria dos indianos urbanos,
  34. e ficava presa no tráfego,
  35. passava o tempo no WhatsApp,
    a conversar com o meu irmão gémeo.
  36. Fazia parte duma revolução extraordinária
    que estava a ocorrer na Índia.
  37. Os indianos são os segundos maiores
    utilizadores de Smartphones do mundo.
  38. Os preços dos dados reduziram-se
    a um ponto tão radical
  39. que metade da Índia urbana
    e uma parte da India rural
  40. têm um Smartphone na mão
    com ligação a dados.
  41. Se conhecem um pouco a Índia,
  42. sabem que "metade" significa
    todos os norte-americanos, mais ou menos.
  43. Estão a ver, é um número enorme.
  44. (Risos)

  45. Este número está a crescer
    cada vez mais.

  46. Está a explodir.
  47. Isso está a dar poder aos indianos
  48. de todo o tipo de formas extraordinárias.
  49. Mas nenhuma dessas mudanças
    que eu via à minha volta
  50. se refletia no meu mundo,
    no meu mundo dos livros.
  51. Eu vivo num país do tamanho da Europa
  52. que só tem 50 livrarias decentes.
  53. Segundo parece, os indianos
    não querem ler só por prazer.
  54. Se olharmos para as listas
    dos "best-sellers" na Índia,
  55. descobrimos que a lista
    dos "best-sellers"
  56. são guias de exames e profissionais.
  57. Imaginem se encontrassem o guia SAT
    como o mais vendido
  58. no "New York Times",
    mês após mês.
  59. No entanto, a revolução dos Smartphones

  60. estava a criar leitores e escritores
    de um tipo diferente.
  61. Fosse no Facebook ou no WhatsApp,
  62. os indianos estavam a escrever,
    a partilhar e a ler todo o tipo de coisas,
  63. piadas terríveis,
    histórias populares falaciosas,
  64. longas confissões emotivas,
  65. diatribes contra o governo.
  66. À medida que eu lia e partilhava
    estas coisas, ficava a pensar:
  67. "Será que podia transformar
    estes escritores e estes leitores
  68. "nos meus leitores?"
  69. Então, larguei o meu gabinete luxuoso

  70. e o meu trabalho de editora
    da principal empresa da Índia
  71. e estabeleci-me por conta própria.
  72. Mudei-me para uma grande sala
    num bairro boémio barato de Deli,
  73. com uma pequena equipa.
  74. Aí, fundei uma editora de um tipo novo.
  75. Uma editora de um tipo novo
    precisa de um tipo novo de leitores
  76. e de um tipo novo de livros.
  77. Perguntei a mim mesma:
    "O que é que este novo leitor quer?
  78. "Apreciará a urgência. a relevância,
  79. "a oportunidade, a objetividade
  80. "as qualidades que parecem querer
    dos seus serviços 'online'.
  81. "as qualidades que parecem querer
    da vida, atualmente?"
  82. Eu sabia que os meus leitores
    estavam sempre em movimento.

  83. Tinha de me encaixar
    no seu estilo de vida e nos seus horários.
  84. Queriam ler um livro de 200 páginas?
  85. Ou queriam uma coisa
    um pouco mais digerível?
  86. Os indianos têm uma incrível
    consciência de valores
  87. especialmente no que toca
    à leitura "online".
  88. Eu sabia que tinha de lhes dar
    livros a menos de um dólar.
  89. Assim, fundei a minha empresa,
    e ela nasceu.
  90. Era uma plataforma onde criámos
    uma lista de histórias
  91. concebidas para o "smartphone",
  92. mas também permitia aos escritores
    amadores carregar as suas histórias
  93. e, portanto, competiam
    com os escritores
  94. que eles liam e admiravam.
  95. Também podíamos entrar
    em plataformas digitais de outras pessoas.
  96. Imaginem isto:

  97. Imaginem que são um rececionista
    e tiveram um enorme dia de trabalho,
  98. chamam um táxi na vossa aplicação
    de reservas.
  99. Ele aparece,
  100. vocês entram no carro
    e recostam-se no assento traseiro.
  101. Ligam a vossa aplicação
  102. e encontram uma série de histórias
    à vossa espera, adequadas à viagem.
  103. Imaginem que são uma rapariga lésbica
  104. numa cidade relativamente conservadora,
    como Lucknow, que fica perto de Deli.
  105. Nem pensar que os vossos pais
    estejam ao corrente da vossa sexualidade.
  106. Iam passar-se de todo.
  107. Gostariam de ler histórias de amor lésbico
    escritas em hindi, por um dólar,
  108. na privacidade do vosso telemóvel?
  109. Poderia eu proporcionar aos leitores
  110. os eventos que estão a ocorrer
    à volta deles, em tempo real?
  111. Assim, publicamos biografias
    de políticos muito famosos

  112. depois de eles terem ganho
    eleições importantes.
  113. Quando o supremo tribunal
    descriminalizou a homossexualidade
  114. havia uma coleção LGBTQ
    à espera na nossa página inicial.
  115. Quando a Toni Morrison, da Índia,
    a grande escritora Mahasweta Devi morreu,
  116. os nossos leitores encontraram
    uma breve história dela,
  117. logo que a notícia foi dada.
  118. A ideia era ser relevante
    em cada momento da vida de um leitor.
  119. Quem são os nossos leitores?

  120. São sobretudo homens jovens
    com menos de 30 anos.
  121. Há um como Salil,
  122. que vive numa cidade
    onde não há uma livraria moderna.
  123. Visita a nossa aplicação
    quase todos os dias.
  124. Há outro como Manoj,
  125. que nos lê sobretudo durante
    o longo percurso de volta a casa.
  126. E há outro como Ahmed,
    que adora a nossa não ficção
  127. que pode ler duma assentada
    e a um preço muito baixo.
  128. Imaginem que são um jovem técnico

  129. na cidade de Bangalore,
    o Silicon Valley da Índia.
  130. Um dia, recebem
    uma notificação da aplicação
  131. dizendo que a vossa atriz preferida
    escreveu um conto sensual
  132. e está à vossa espera.
  133. Foi assim que lançámos Juggernaut.
  134. Fomos buscar Sunny Leone,
  135. uma ex-estrela famosa,
    do cinema para adultos,
  136. É a pessoa da Índia
    mais pesquisada no Google.
  137. Conseguimos que ela escrevesse
    uma coleção de contos sensuais
  138. que publicámos todas as noites
    durante uma semana.
  139. Foi uma sensação.
  140. Ninguém acreditava que tínhamos
    pedido a Sunny Leone para escrever.
  141. Mas foi o que ela fez
  142. e provou que estavam todos enganados
  143. e encontrou um público enorme.
  144. Tal como redefinimos o que é um livro
    e como se comporta um leitor,

  145. estamos a repensar quem é um autor.
  146. Na nossa plataforma
    de escritores amadores,
  147. temos escritores que vão
    desde adolescentes a donas de casa.
  148. Estão a escrever todo o tipo de coisas.
  149. Começam por um pequeno poema,
    um ensaio, um conto...
  150. Uns 50% voltam à aplicação
    para voltar a escrever.
  151. Reparem numa pessoa como Neeraj.
  152. É um executivo de meia idade,
    casado, dois filhos, um bom emprego.
  153. Neeraj adora ler.
  154. Mas sempre que Neeraj
    lia um livro de que gostava,
  155. também ficava desgostoso.
  156. Pensava consigo mesmo
    se não poderia escrever também.
  157. Estava convencido de que tinha
    histórias na sua cabeça.
  158. Mas o tempo e a vida real ocuparam-no
    e ele não conseguia pensar nisso.
  159. Depois, ouviu falar na plataforma
    dos escritores Juggernaut
  160. e o que ele gostou nessa plataforma
    foi que sentiu que era um local
  161. onde ele podia ser tão bom
    como os outros,
  162. com aqueles escritores
    que ele mais admirava.
  163. Assim, começou a escrever.

  164. Aproveitava um minuto aqui,
    uma hora ali,
  165. entre voos em aeroportos,
  166. ao fim da noite, quando tinha
    um pouco de tempo livre.
  167. Escreveu uma história extraordinária.
  168. Escreveu uma história
    sobre uma família de assassinos
  169. que vivia nas estradas sinuosas
    da Velha Deli.
  170. Adorámos essa história,
    era fresca e original.
  171. Antes de Neeraj dar por isso,
    já tinha um contrato para um filme
  172. e um segundo contrato
    para escrever outra história.
  173. A história de Neeraj é uma das histórias
    mais lidas na nossa aplicação.
  174. O meu percurso é muito jovem.

  175. Somos uma empresa com dois anos
    e temos um longo caminho a percorrer.
  176. Mas até ao fim deste ano
  177. queremos ter meio milhão de histórias,
    na maioria a menos de um dólar.
  178. A maioria dos nossos leitores adora ler
  179. e experimentar autores
    de que nunca ouviram falar.
  180. 30% das leituras da nossa página inicial
  181. provém da escrita que procede
    da nossa plataforma de escritores.
  182. Estando em toda a parte,

  183. estando acessíveis e sendo relevantes,
  184. espero tornar a leitura um hábito diário,
  185. tão fácil e descontraído
    como verificar o "email",
  186. como reservar um bilhete "online"
  187. ou encomendar a mercearia.
  188. Quanto a mim,
  189. descobri que, quando entro
    nos 15 cm do mundo do Smartphone,
  190. o meu mundo torna-se enorme.
  191. Obrigada.

  192. (Aplausos)