Return to Video

O nosso cérebro e a poluição do ar

  • 0:01 - 0:04
    Há algo de que precisamos desesperadamente
  • 0:04 - 0:07
    e que não podemos deixar de fazer:
  • 0:07 - 0:08
    respirar.
  • 0:09 - 0:10
    Querem tentar?
  • 0:10 - 0:13
    Porque não paramos
    de respirar, todos juntos,
  • 0:13 - 0:16
    durante, digamos, uns 10 segundos.
  • 0:16 - 0:17
    Pode ser?
  • 0:17 - 0:19
    Vamos fazê-lo.
  • 0:19 - 0:22
    Preparem-se... Agora!
  • 0:40 - 0:42
    Uf! É difícil, não é?
  • 0:42 - 0:46
    Este é um número incrível,
  • 0:46 - 0:49
    que vai, novamente, tirar-vos o fôlego:
  • 0:49 - 0:51
    sete.
  • 0:51 - 0:52
    Sete quê?
  • 0:52 - 0:56
    Sete milhões de mortes prematuras por ano,
  • 0:56 - 1:02
    causadas pela exposição ao ar
    de má qualidade que respiramos.
  • 1:02 - 1:07
    Imaginem, é como se mais do que
    a população total de Madrid,
  • 1:07 - 1:10
    desaparecesse num ano.
  • 1:10 - 1:12
    Podem perguntar:
  • 1:12 - 1:14
    "Essa informação já foi revelada?
  • 1:14 - 1:18
    "Essa informação já foi
    divulgada, difundida?"
  • 1:18 - 1:20
    Bem, sim.
  • 1:20 - 1:25
    Temos, de momento,
    mais de 70 mil artigos científicos
  • 1:25 - 1:30
    a examinar a relação entre
    a poluição do ar e a nossa saúde,
  • 1:31 - 1:35
    e os "media" mundiais têm abordado
    este assunto com regularidade.
  • 1:35 - 1:38
    De facto, num período
    de tempo relativamente curto,
  • 1:39 - 1:41
    chegamos à conclusão de que
    a poluição do ar
  • 1:41 - 1:44
    está a ter um impacto negativo
  • 1:44 - 1:49
    na maioria dos nossos órgãos principais.
  • 1:49 - 1:51
    Comecemos pelos pulmões.
  • 1:52 - 1:55
    Quando pensamos na poluição do ar,
    pensamos sempre nos pulmões.
  • 1:55 - 1:59
    De facto, sempre que inspiramos,
  • 1:59 - 2:02
    estamos a inalar poluentes tóxicos
  • 2:02 - 2:07
    e os nossos pobres pulmões,
    adoráveis e cor-de-rosa,
  • 2:07 - 2:09
    estão a sofrer com tudo isso.
  • 2:10 - 2:12
    Nos últimos 10 anos,
  • 2:12 - 2:17
    reunimos uma grande quantidade de
    informações sobre o que está a acontecer,
  • 2:17 - 2:21
    mas, primeiro,
    vou falar-vos da poluição do ar.
  • 2:21 - 2:25
    A poluição do ar é uma mistura complexa
  • 2:25 - 2:29
    de partículas sólidas,
  • 2:29 - 2:31
    de gotículas de líquido
  • 2:31 - 2:33
    e de químicos gasosos.
  • 2:33 - 2:35
    Imaginem esta mistura,
  • 2:35 - 2:40
    que pode vir de fontes como
    o fumo de combustíveis domésticos,
  • 2:40 - 2:43
    das indústrias ou do trânsito,
  • 2:43 - 2:47
    ou de tantas outras fontes
    no interior ou no exterior.
  • 2:47 - 2:51
    E é claro que
    diferentes fontes de poluição,
  • 2:51 - 2:55
    farão diferentes misturas de poluentes.
  • 2:56 - 2:59
    A questão é que todas estas toxinas
  • 2:59 - 3:01
    podem ser combinadas de diferentes formas.
  • 3:01 - 3:06
    Tomemos como
    exemplo o material particulado.
  • 3:06 - 3:08
    Pode ser uma mistura que inclua,
  • 3:09 - 3:10
    — reparem neste "cocktail" —
  • 3:10 - 3:13
    terra e pó da estrada,
  • 3:13 - 3:15
    sal marinho,
  • 3:15 - 3:17
    metais tóxicos,
  • 3:17 - 3:19
    o "smog" do gasóleo,
  • 3:19 - 3:21
    nitratos e sulfatos,
  • 3:21 - 3:26
    e todo este veneno tóxico,
    este "cocktail" delicioso
  • 3:26 - 3:29
    entra nos nossos pulmões todos os dias
  • 3:29 - 3:32
    e estamos constantemente
    expostos a esta poluição do ar,
  • 3:32 - 3:34
    já que não conseguimos deixar de respirar.
  • 3:34 - 3:37
    Quer dizer, conseguimos fazê-lo
    durante 10 segundos,
  • 3:37 - 3:38
    mas não mais que isso.
  • 3:38 - 3:40
    Não conseguimos deixar de respirar
  • 3:40 - 3:42
    e, para além disso,
  • 3:42 - 3:48
    precisamos, diariamente,
    de cerca de 10 mil litros de ar.
  • 3:49 - 3:52
    Dissemos que temos sete milhões de mortes,
  • 3:52 - 3:54
    todos os anos,
    causadas pela poluição do ar.
  • 3:55 - 3:57
    Entramos em pânico?
  • 3:57 - 3:59
    Mantemos a calma?
  • 3:59 - 4:04
    Estamos a declarar uma calamidade
    nacional, uma emergência global?
  • 4:04 - 4:09
    Não. E, de facto, pergunto-me
    isto todos os dias:
  • 4:09 - 4:11
    O que está a acontecer?
  • 4:11 - 4:17
    Mas há algo que talvez
    nos force a reagir mais rapidamente.
  • 4:18 - 4:21
    A poluição do ar não está
    a afetar só os nossos pulmões.
  • 4:21 - 4:24
    Também está a afetar o nosso cérebro.
  • 4:24 - 4:26
    Este é o nosso cérebro.
  • 4:26 - 4:27
    Lindo.
  • 4:27 - 4:29
    Todos o temos.
  • 4:29 - 4:31
    Todos precisamos dele.
  • 4:31 - 4:34
    E espero que todos o usemos...
  • 4:34 - 4:35
    (Risos)
  • 4:35 - 4:37
    uns mais que outros.
  • 4:37 - 4:40
    Nos últimos 10 anos de história,
  • 4:40 - 4:42
    a investigação sobre a relação
  • 4:43 - 4:45
    entre a poluição do ar
    e a saúde do cérebro
  • 4:45 - 4:48
    tem vindo a aumentar drasticamente,
  • 4:48 - 4:52
    por isso, talvez agora
    o nosso cérebro esteja a fumegar.
  • 4:53 - 4:55
    Mas deixem-me falar-vos das provas,
  • 4:55 - 4:59
    do que sabemos, até agora,
    sobre a poluição do ar no nosso cérebro.
  • 4:59 - 5:03
    Primeiro, há um conjunto
    de provas emergente,
  • 5:03 - 5:06
    relativo aos possíveis
    efeitos prejudiciais
  • 5:06 - 5:08
    dos poluentes do ar
  • 5:08 - 5:11
    no nosso sistema nervoso central.
  • 5:11 - 5:13
    Mas voltemos às partículas tóxicas.
  • 5:13 - 5:14
    Lembram-se?
  • 5:14 - 5:16
    Deixámo-las nos pulmões,
  • 5:16 - 5:19
    a gozarem a vida,
    a poluírem tudo.
  • 5:19 - 5:21
    Mas, as mais pequenas delas,
  • 5:21 - 5:24
    conseguem infiltrar-se
    na corrente sanguínea
  • 5:24 - 5:27
    e, através da corrente sanguínea,
    bombeada pelo coração,
  • 5:27 - 5:29
    conseguem chegar ao corpo todo,
  • 5:30 - 5:32
    ameaçando todos os órgãos,
  • 5:32 - 5:34
    incluindo o cérebro.
  • 5:35 - 5:38
    Costumávamos dizer que
    a poluição do ar não tem fronteiras,
  • 5:38 - 5:41
    o que, no nosso corpo,
    também é verdade,
  • 5:41 - 5:45
    porque os poluentes do ar
    vão atravessar a barreira placentária,
  • 5:45 - 5:52
    chegar até ao feto e alterar
    o córtex cerebral do bebé,
  • 5:52 - 5:56
    mesmo antes de ele respirar
    pela primeira vez.
  • 5:57 - 6:01
    Segundo, diversos estudos sugeriram
  • 6:01 - 6:05
    que a exposição à poluição
    do ar a longo prazo,
  • 6:05 - 6:08
    tanto na gravidez como na infância,
  • 6:09 - 6:15
    terá uma influência negativa
    no desenvolvimento neurológico,
  • 6:15 - 6:19
    na obtenção de resultados
    mais baixos em testes cognitivos
  • 6:19 - 6:22
    e terá também uma influência negativa
  • 6:22 - 6:27
    em alguns distúrbios comportamentais,
    como o autismo
  • 6:27 - 6:32
    e a Perturbação de Hiperatividade
    e Défice de Atenção.
  • 6:33 - 6:35
    Adicionalmente, foram encontradas provas
  • 6:35 - 6:40
    de que expor os cérebros
    das crianças e jovens adultos,
  • 6:40 - 6:43
    a material particulado,
    por um longo período de tempo,
  • 6:43 - 6:48
    causará algumas reações,
    como inflamação do cérebro,
  • 6:48 - 6:51
    alterando a resposta neural
  • 6:51 - 6:58
    e, também, afetando
    mais fibrilas proteicas
  • 6:58 - 7:00
    que se estão a acumular
  • 7:00 - 7:03
    e que podem aumentar
    o risco de contrair doenças,
  • 7:03 - 7:06
    como Alzheimer e Parkinson.
  • 7:06 - 7:08
    Irónico, não é?
  • 7:08 - 7:12
    Estamos a investir
    no futuro dos nossos filhos,
  • 7:13 - 7:17
    a mandá-los para a escola, todos os dias,
    para expandirem as suas mentes,
  • 7:17 - 7:20
    a sociedade está a investir
    na sua educação
  • 7:20 - 7:25
    e, contudo, o ar que respiram
    enquanto esperam pelo autocarro
  • 7:25 - 7:31
    está a influenciar negativamente
    o desenvolvimento do seu cérebro.
  • 7:31 - 7:35
    Vamos para a terceira:
    E os adultos?
  • 7:35 - 7:38
    De acordo com dados científicos recentes,
  • 7:39 - 7:43
    a exposição a material particulado
    a longo prazo,
  • 7:43 - 7:48
    causará um declínio cognitivo
    nos participantes do estudo,
  • 7:48 - 7:50
    à medida que envelhecem.
  • 7:50 - 7:51
    Como se isso não bastasse,
  • 7:51 - 7:56
    se os expuserem a material particulado
    muito fino a longo prazo,
  • 7:56 - 8:00
    o seu cérebro envelhecerá
    mais rapidamente
  • 8:00 - 8:03
    e terão mais probabilidade
  • 8:03 - 8:08
    de ter derrames pequenos e silenciosos.
  • 8:08 - 8:11
    Para o último não vos vou dar mais provas,
  • 8:11 - 8:13
    porque há imensas.
  • 8:13 - 8:16
    Estudos epidemiológicos em animais
  • 8:16 - 8:21
    sugeriram que talvez haja um risco
    acrescido de demência
  • 8:21 - 8:25
    com a exposição contínua
    a poluentes do ar.
  • 8:26 - 8:31
    Quase todos estamos expostos
    à poluição do ar.
  • 8:31 - 8:35
    Quer vivamos numa área rural ou urbana,
  • 8:35 - 8:39
    quer vivamos num país desenvolvido
    ou em desenvolvimento,
  • 8:39 - 8:43
    todos os cérebros, incluindo o vosso,
  • 8:43 - 8:44
    estão em risco.
  • 8:45 - 8:47
    Enquanto médica,
  • 8:47 - 8:53
    tenho dedicado mais de 20 anos
    da minha vida profissional
  • 8:53 - 8:57
    à consciencialização
    das questões de saúde pública,
  • 8:57 - 8:59
    dos riscos para a saúde pública,
  • 8:59 - 9:01
    na Organização Mundial de Saúde,
  • 9:01 - 9:05
    Eu sei que há o conhecimento,
    bem como as soluções.
  • 9:05 - 9:09
    Claro que há lugares
    mais poluídos que outros,
  • 9:09 - 9:12
    mas este é um problema global,
  • 9:12 - 9:19
    e nenhum indivíduo, cidade,
    grupo, país ou região
  • 9:19 - 9:22
    será capaz de o resolver sozinho.
  • 9:23 - 9:27
    Precisamos de muito empenho
    e muita ação, por parte de todos:
  • 9:27 - 9:29
    da sociedade civil,
  • 9:29 - 9:31
    do setor privado
  • 9:31 - 9:32
    e até dos indivíduos.
  • 9:32 - 9:34
    Todos temos um papel a desempenhar.
  • 9:34 - 9:38
    Sim, precisamos de influenciar
    a maneira como consumimos,
  • 9:38 - 9:40
    como viajamos,
  • 9:40 - 9:43
    como usamos a nossa energia.
  • 9:43 - 9:48
    E o melhor é que
    todas estas soluções estão disponíveis.
  • 9:48 - 9:52
    A questão é: se adiarmos
    a ação por um dia,
  • 9:52 - 9:55
    podemos perder milhares de vidas,
  • 9:55 - 9:58
    mas se a adiarmos por um ano,
  • 9:58 - 10:02
    podemos perder, novamente, sete milhões.
  • 10:03 - 10:07
    Logo, todos os decisores políticos,
    todos os políticos,
  • 10:07 - 10:12
    precisam de estar cientes
    das consequências para a saúde humana
  • 10:12 - 10:14
    do seu adiar de decisões.
  • 10:14 - 10:16
    De facto,
  • 10:16 - 10:18
    esta não é a primeira vez na história
  • 10:18 - 10:23
    que nos vemos confrontados
    com os riscos deste assassino invisível.
  • 10:23 - 10:27
    Isto foi em Londres, em 1952,
  • 10:27 - 10:32
    Tal como foi feito em Londres
    nos anos 50 e 60,
  • 10:33 - 10:36
    os governos e as cidades
  • 10:36 - 10:42
    precisam de agir urgentemente para parar
    o terrível impacto da poluição do ar.
  • 10:43 - 10:45
    Todos os políticos têm de saber
  • 10:45 - 10:49
    que adiar aquilo a que eles
    chamam "medidas drásticas",
  • 10:49 - 10:52
    como seja reduzir o trânsito nas cidades
  • 10:52 - 10:56
    ou investir nos transportes públicos
  • 10:56 - 11:01
    e envolver-se na promoção
    do ciclismo nas cidades,
  • 11:01 - 11:03
    investir em energias renováveis,
  • 11:03 - 11:09
    promover energia limpa
    para a cozinha, para a refrigeração,
  • 11:09 - 11:12
    para os transportes e o aquecimento,
  • 11:12 - 11:15
    são soluções muito inteligentes,
  • 11:15 - 11:19
    já que, de facto, reduzem as emissões,
  • 11:19 - 11:23
    melhoram a qualidade do ar,
    de acordo com os padrões da OMS,
  • 11:23 - 11:27
    que são os padrões que nos vão proteger.
  • 11:28 - 11:35
    De facto, precisamos de todos os políticos
    pelos seus fortes compromissos políticos
  • 11:35 - 11:37
    e vontade política,
  • 11:37 - 11:38
    mas precisamos deles já.
  • 11:39 - 11:43
    Aqueles que falharam, que adiaram a ação,
  • 11:44 - 11:49
    já foram notificados para
    defenderem a sua posição em tribunal.
  • 11:49 - 11:51
    E, a partir de agora,
  • 11:51 - 11:55
    nenhum político vai poder dizer:
    "Eu não sabia".
  • 11:56 - 11:57
    Então, a questão aqui é esta:
  • 11:58 - 11:59
    Quantas vidas,
  • 12:00 - 12:02
    quanta perda de qualidade de vida
  • 12:02 - 12:05
    quanta perda do nosso poder cerebral
  • 12:05 - 12:08
    estamos dispostos a aceitar?
  • 12:08 - 12:10
    Se a resposta for "nenhuma",
  • 12:10 - 12:12
    peço-vos que,
  • 12:12 - 12:17
    enquanto os nossos cérebros ainda
    funcionam e ainda somos inteligentes,
  • 12:17 - 12:22
    por favor, exerçam o vosso direito,
    pressionem os vossos políticos
  • 12:22 - 12:26
    e certifiquem-se que eles agem
    para parar as fontes de poluição do ar.
  • 12:26 - 12:29
    É a primeira coisa que podemos
    fazer para vos proteger
  • 12:29 - 12:32
    e para proteger o nosso lindo cérebro.
  • 12:32 - 12:33
    Muito obrigada.
  • 12:34 - 12:38
    (Aplausos)
Title:
O nosso cérebro e a poluição do ar
Speaker:
María Neira
Description:

A poluição do ar não conhece fronteiras, mesmo no nosso corpo, diz a especialista em saúde pública, María Neira. Nesta palestra chocante, descreve como as partículas microscópicas e os químicos que respiramos afetam todos os nossos órgãos importantes (incluindo o cérebro) e chama a atenção do público e dos que têm poder para agirem de forma a parar as fontes de poluição.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
12:52

Portuguese subtitles

Revisions