Portuguese subtitles

← O nosso cérebro e a poluição do ar

Get Embed Code
31 Languages

Showing Revision 9 created 03/26/2020 by Margarida Ferreira.

  1. Há algo de que precisamos desesperadamente
  2. e que não podemos deixar de fazer:
  3. respirar.
  4. Querem tentar?
  5. Porque não paramos
    de respirar, todos juntos,
  6. durante, digamos, uns 10 segundos.
  7. Pode ser?
  8. Vamos fazê-lo.
  9. Preparem-se... Agora!
  10. Uf! É difícil, não é?

  11. Este é um número incrível,

  12. que vai, novamente, tirar-vos o fôlego:
  13. sete.
  14. Sete quê?
  15. Sete milhões de mortes prematuras por ano,
  16. causadas pela exposição ao ar
    de má qualidade que respiramos.
  17. Imaginem, é como se mais do que
    a população total de Madrid,
  18. desaparecesse num ano.
  19. Podem perguntar:

  20. "Essa informação já foi revelada?
  21. "Essa informação já foi
    divulgada, difundida?"
  22. Bem, sim.
  23. Temos, de momento,
    mais de 70 mil artigos científicos
  24. a examinar a relação entre
    a poluição do ar e a nossa saúde,
  25. e os "media" mundiais têm abordado
    este assunto com regularidade.
  26. De facto, num período
    de tempo relativamente curto,
  27. chegamos à conclusão de que
    a poluição do ar
  28. está a ter um impacto negativo
  29. na maioria dos nossos órgãos principais.
  30. Comecemos pelos pulmões.

  31. Quando pensamos na poluição do ar,
    pensamos sempre nos pulmões.
  32. De facto, sempre que inspiramos,
  33. estamos a inalar poluentes tóxicos
  34. e os nossos pobres pulmões,
    adoráveis e cor-de-rosa,
  35. estão a sofrer com tudo isso.
  36. Nos últimos 10 anos,

  37. reunimos uma grande quantidade de
    informações sobre o que está a acontecer,
  38. mas, primeiro,
    vou falar-vos da poluição do ar.
  39. A poluição do ar é uma mistura complexa
  40. de partículas sólidas,
  41. de gotículas de líquido
  42. e de químicos gasosos.
  43. Imaginem esta mistura,
  44. que pode vir de fontes como
    o fumo de combustíveis domésticos,
  45. das indústrias ou do trânsito,
  46. ou de tantas outras fontes
    no interior ou no exterior.
  47. E é claro que
    diferentes fontes de poluição,
  48. farão diferentes misturas de poluentes.
  49. A questão é que todas estas toxinas
  50. podem ser combinadas de diferentes formas.
  51. Tomemos como
    exemplo o material particulado.
  52. Pode ser uma mistura que inclua,
  53. — reparem neste "cocktail" —
  54. terra e pó da estrada,
  55. sal marinho,
  56. metais tóxicos,
  57. o "smog" do gasóleo,
  58. nitratos e sulfatos,
  59. e todo este veneno tóxico,
    este "cocktail" delicioso
  60. entra nos nossos pulmões todos os dias
  61. e estamos constantemente
    expostos a esta poluição do ar,
  62. já que não conseguimos deixar de respirar.
  63. Quer dizer, conseguimos fazê-lo
    durante 10 segundos,
  64. mas não mais que isso.
  65. Não conseguimos deixar de respirar
  66. e, para além disso,
  67. precisamos, diariamente,
    de cerca de 10 mil litros de ar.
  68. Dissemos que temos sete milhões de mortes,

  69. todos os anos,
    causadas pela poluição do ar.
  70. Entramos em pânico?
  71. Mantemos a calma?
  72. Estamos a declarar uma calamidade
    nacional, uma emergência global?
  73. Não. E, de facto, pergunto-me
    isto todos os dias:
  74. O que está a acontecer?
  75. Mas há algo que talvez
    nos force a reagir mais rapidamente.
  76. A poluição do ar não está
    a afetar só os nossos pulmões.
  77. Também está a afetar o nosso cérebro.
  78. Este é o nosso cérebro.

  79. Lindo.
  80. Todos o temos.
  81. Todos precisamos dele.
  82. E espero que todos o usemos...
  83. (Risos)

  84. uns mais que outros.

  85. Nos últimos 10 anos de história,
  86. a investigação sobre a relação
  87. entre a poluição do ar
    e a saúde do cérebro

  88. tem vindo a aumentar drasticamente,
  89. por isso, talvez agora
    o nosso cérebro esteja a fumegar.
  90. Mas deixem-me falar-vos das provas,
  91. do que sabemos, até agora,
    sobre a poluição do ar no nosso cérebro.
  92. Primeiro, há um conjunto
    de provas emergente,

  93. relativo aos possíveis
    efeitos prejudiciais
  94. dos poluentes do ar
  95. no nosso sistema nervoso central.
  96. Mas voltemos às partículas tóxicas.
  97. Lembram-se?
  98. Deixámo-las nos pulmões,
  99. a gozarem a vida,
    a poluírem tudo.
  100. Mas, as mais pequenas delas,
  101. conseguem infiltrar-se
    na corrente sanguínea
  102. e, através da corrente sanguínea,
    bombeada pelo coração,
  103. conseguem chegar ao corpo todo,
  104. ameaçando todos os órgãos,
  105. incluindo o cérebro.
  106. Costumávamos dizer que
    a poluição do ar não tem fronteiras,
  107. o que, no nosso corpo,
    também é verdade,
  108. porque os poluentes do ar
    vão atravessar a barreira placentária,
  109. chegar até ao feto e alterar
    o córtex cerebral do bebé,
  110. mesmo antes de ele respirar
    pela primeira vez.
  111. Segundo, diversos estudos sugeriram

  112. que a exposição à poluição
    do ar a longo prazo,
  113. tanto na gravidez como na infância,
  114. terá uma influência negativa
    no desenvolvimento neurológico,
  115. na obtenção de resultados
    mais baixos em testes cognitivos
  116. e terá também uma influência negativa
  117. em alguns distúrbios comportamentais,
    como o autismo
  118. e a Perturbação de Hiperatividade
    e Défice de Atenção.
  119. Adicionalmente, foram encontradas provas
  120. de que expor os cérebros
    das crianças e jovens adultos,
  121. a material particulado,
    por um longo período de tempo,
  122. causará algumas reações,
    como inflamação do cérebro,
  123. alterando a resposta neural
  124. e, também, afetando
    mais fibrilas proteicas
  125. que se estão a acumular
  126. e que podem aumentar
    o risco de contrair doenças,
  127. como Alzheimer e Parkinson.
  128. Irónico, não é?

  129. Estamos a investir
    no futuro dos nossos filhos,
  130. a mandá-los para a escola, todos os dias,
    para expandirem as suas mentes,
  131. a sociedade está a investir
    na sua educação
  132. e, contudo, o ar que respiram
    enquanto esperam pelo autocarro
  133. está a influenciar negativamente
    o desenvolvimento do seu cérebro.
  134. Vamos para a terceira:
    E os adultos?

  135. De acordo com dados científicos recentes,
  136. a exposição a material particulado
    a longo prazo,
  137. causará um declínio cognitivo
    nos participantes do estudo,
  138. à medida que envelhecem.
  139. Como se isso não bastasse,
  140. se os expuserem a material particulado
    muito fino a longo prazo,
  141. o seu cérebro envelhecerá
    mais rapidamente
  142. e terão mais probabilidade
  143. de ter derrames pequenos e silenciosos.
  144. Para o último não vos vou dar mais provas,

  145. porque há imensas.
  146. Estudos epidemiológicos em animais
  147. sugeriram que talvez haja um risco
    acrescido de demência
  148. com a exposição contínua
    a poluentes do ar.
  149. Quase todos estamos expostos
    à poluição do ar.

  150. Quer vivamos numa área rural ou urbana,
  151. quer vivamos num país desenvolvido
    ou em desenvolvimento,
  152. todos os cérebros, incluindo o vosso,
  153. estão em risco.
  154. Enquanto médica,

  155. tenho dedicado mais de 20 anos
    da minha vida profissional
  156. à consciencialização
    das questões de saúde pública,
  157. dos riscos para a saúde pública,

  158. na Organização Mundial de Saúde,
  159. Eu sei que há o conhecimento,
    bem como as soluções.
  160. Claro que há lugares
    mais poluídos que outros,
  161. mas este é um problema global,
  162. e nenhum indivíduo, cidade,
    grupo, país ou região
  163. será capaz de o resolver sozinho.
  164. Precisamos de muito empenho
    e muita ação, por parte de todos:
  165. da sociedade civil,
  166. do setor privado
  167. e até dos indivíduos.
  168. Todos temos um papel a desempenhar.
  169. Sim, precisamos de influenciar
    a maneira como consumimos,
  170. como viajamos,
  171. como usamos a nossa energia.
  172. E o melhor é que
    todas estas soluções estão disponíveis.

  173. A questão é: se adiarmos
    a ação por um dia,
  174. podemos perder milhares de vidas,
  175. mas se a adiarmos por um ano,
  176. podemos perder, novamente, sete milhões.
  177. Logo, todos os decisores políticos,
    todos os políticos,
  178. precisam de estar cientes
    das consequências para a saúde humana
  179. do seu adiar de decisões.
  180. De facto,

  181. esta não é a primeira vez na história
  182. que nos vemos confrontados
    com os riscos deste assassino invisível.
  183. Isto foi em Londres, em 1952,
  184. Tal como foi feito em Londres
    nos anos 50 e 60,
  185. os governos e as cidades
  186. precisam de agir urgentemente para parar
    o terrível impacto da poluição do ar.
  187. Todos os políticos têm de saber
  188. que adiar aquilo a que eles
    chamam "medidas drásticas",
  189. como seja reduzir o trânsito nas cidades
  190. ou investir nos transportes públicos
  191. e envolver-se na promoção
    do ciclismo nas cidades,
  192. investir em energias renováveis,
  193. promover energia limpa
    para a cozinha, para a refrigeração,
  194. para os transportes e o aquecimento,
  195. são soluções muito inteligentes,
  196. já que, de facto, reduzem as emissões,
  197. melhoram a qualidade do ar,
    de acordo com os padrões da OMS,
  198. que são os padrões que nos vão proteger.
  199. De facto, precisamos de todos os políticos
    pelos seus fortes compromissos políticos

  200. e vontade política,
  201. mas precisamos deles já.
  202. Aqueles que falharam, que adiaram a ação,
  203. já foram notificados para
    defenderem a sua posição em tribunal.
  204. E, a partir de agora,
  205. nenhum político vai poder dizer:
    "Eu não sabia".
  206. Então, a questão aqui é esta:

  207. Quantas vidas,
  208. quanta perda de qualidade de vida
  209. quanta perda do nosso poder cerebral
  210. estamos dispostos a aceitar?
  211. Se a resposta for "nenhuma",
  212. peço-vos que,
  213. enquanto os nossos cérebros ainda
    funcionam e ainda somos inteligentes,
  214. por favor, exerçam o vosso direito,
    pressionem os vossos políticos
  215. e certifiquem-se que eles agem
    para parar as fontes de poluição do ar.
  216. É a primeira coisa que podemos
    fazer para vos proteger
  217. e para proteger o nosso lindo cérebro.
  218. Muito obrigada.

  219. (Aplausos)