Return to Video

O que os refugiados precisam para começar uma vida nova

  • 0:01 - 0:02
    Há cerca de dois anos,
  • 0:02 - 0:05
    recebi um telefonema que mudou minha vida:
  • 0:06 - 0:09
    "Ei, aqui é seu primo Hassen".
  • 0:09 - 0:11
    Congelei.
  • 0:11 - 0:14
    Sabe, tenho mais de 30 primos
    em primeiro grau,
  • 0:14 - 0:16
    mas não conhecia ninguém chamado Hassen.
  • 0:17 - 0:18
    (Risos)
  • 0:18 - 0:20
    Acontece que Hassen era,
    na verdade, primo de minha mãe
  • 0:20 - 0:23
    e tinha acabado de chegar
    a Montreal como refugiado.
  • 0:23 - 0:24
    E, nos meses seguintes,
  • 0:24 - 0:28
    eu teria mais três parentes
    vindo ao Canadá pedir asilo
  • 0:28 - 0:31
    com pouco mais do que a roupa do corpo.
  • 0:32 - 0:36
    E, nos dois anos desde aquele telefonema,
    minha vida mudou completamente.
  • 0:36 - 0:37
    Deixei o mundo acadêmico
  • 0:37 - 0:42
    e agora lidero uma equipe diversificada
    de tecnólogos, pesquisadores e refugiados
  • 0:42 - 0:46
    que desenvolve recursos de autoajuda
    personalizados para recém-chegados.
  • 0:46 - 0:50
    Queremos ajudá-los a superar
    barreiras linguísticas, culturais e outras
  • 0:50 - 0:54
    que os fazem se sentir como se tivessem
    perdido o controle da própria vida.
  • 0:54 - 0:57
    Sentimos que a IA pode ajudar
    a restaurar os direitos e a dignidade
  • 0:57 - 1:00
    que muitas pessoas perdem
    quando procuram ajuda.
  • 1:01 - 1:03
    A experiência de refugiados
    de minha família não é única.
  • 1:04 - 1:06
    Segundo o ACNUR,
  • 1:06 - 1:09
    a cada minuto, 20 novas
    pessoas são deslocadas
  • 1:09 - 1:12
    pela mudança climática, crise econômica
  • 1:12 - 1:14
    e instabilidade social e política.
  • 1:14 - 1:17
    E foi durante o voluntariado
    em um abrigo local da ACM,
  • 1:17 - 1:20
    para onde meu primo Hassen
    e outros parentes foram enviados,
  • 1:20 - 1:23
    que vimos e aprendemos a compreender
  • 1:23 - 1:26
    quanto esforço e coordenação
    requer o reassentamento.
  • 1:27 - 1:31
    Quando a pessoa chega,
    ela precisa encontrar um advogado
  • 1:31 - 1:33
    e preencher documentos legais
    dentro de duas semanas.
  • 1:33 - 1:37
    Também precisa agendar um exame médico
    com um médico pré-autorizado,
  • 1:37 - 1:40
    só para poder solicitar
    uma autorização de trabalho.
  • 1:40 - 1:42
    E precisa começar a procurar
    um lugar para morar
  • 1:42 - 1:45
    antes de receber qualquer tipo
    de assistência social.
  • 1:47 - 1:49
    Com milhares de pessoas fugindo dos EUA
  • 1:49 - 1:51
    para buscar asilo no Canadá
    nos últimos anos,
  • 1:51 - 1:53
    logo percebemos o que acontece
  • 1:53 - 1:56
    quando há mais pessoas que precisam
    de ajuda do que recursos para ajudá-las.
  • 1:57 - 2:00
    Os serviços sociais
    não expandem rapidamente
  • 2:00 - 2:03
    e, mesmo que as comunidades
    façam o possível
  • 2:03 - 2:05
    para ajudar mais pessoas
    com recursos limitados,
  • 2:05 - 2:08
    os recém-chegados passam
    mais tempo esperando no limbo,
  • 2:08 - 2:10
    sem saber a quem recorrer.
  • 2:10 - 2:12
    Em Montreal, por exemplo,
  • 2:12 - 2:16
    apesar dos milhões de dólares gastos
    para apoiar os esforços de reassentamento,
  • 2:16 - 2:18
    quase 50% dos recém-chegados
    ainda não sabem
  • 2:18 - 2:21
    que existem recursos gratuitos
  • 2:21 - 2:23
    para ajudá-los com tudo,
    desde o preenchimento de papéis
  • 2:23 - 2:25
    até a procura de emprego.
  • 2:25 - 2:28
    O desafio não é a falta de informação.
  • 2:29 - 2:33
    Pelo contrário, os necessitados são muitas
    vezes bombardeados com tanta informação
  • 2:33 - 2:36
    que é difícil de entender tudo isso.
  • 2:37 - 2:41
    "Não me dê mais informações,
    apenas me diga o que fazer"
  • 2:41 - 2:44
    foi um sentimento que ouvimos
    inúmeras vezes.
  • 2:44 - 2:47
    E isso reflete o quanto pode ser
    insanamente difícil de se orientar
  • 2:47 - 2:50
    ao se chegar pela primeira vez
    a um novo país.
  • 2:51 - 2:54
    Droga, lutei com os mesmos problemas
    quando cheguei a Montreal,
  • 2:54 - 2:56
    e eu tenho doutorado.
  • 2:56 - 2:58
    (Risos)
  • 2:58 - 3:01
    Como outro membro de nossa equipe,
    também um refugiado, disse:
  • 3:02 - 3:05
    "No Canadá, um cartão SIM
    é mais importante do que comida,
  • 3:05 - 3:07
    porque não morreremos de fome".
  • 3:08 - 3:11
    Mas ter acesso às informações
    e aos recursos certos
  • 3:11 - 3:15
    pode ser a diferença
    entre a vida e a morte.
  • 3:15 - 3:17
    Deixem-me repetir:
  • 3:17 - 3:20
    ter acesso às informações
    e aos recursos certos
  • 3:20 - 3:24
    pode ser a diferença
    entre a vida e a morte.
  • 3:25 - 3:27
    Para resolver esses problemas,
  • 3:27 - 3:29
    construímos o Atar,
  • 3:29 - 3:32
    o primeiro assistente virtual
    operado por inteligência artificial
  • 3:32 - 3:34
    que guia você passo a passo
    durante sua primeira semana
  • 3:34 - 3:36
    de chegada a uma nova cidade.
  • 3:36 - 3:38
    Só diga ao Atar de que ajuda você precisa.
  • 3:39 - 3:41
    Atar então fará algumas perguntas básicas
  • 3:41 - 3:43
    para entender seu caso específico
  • 3:43 - 3:46
    e determinar sua elegibilidade
    para os recursos.
  • 3:46 - 3:49
    Por exemplo: "Você tem um lugar
    para ficar esta noite?"
  • 3:50 - 3:52
    "Se não, você preferiria
    um abrigo só de mulheres?"
  • 3:53 - 3:55
    "Você tem filhos?"
  • 3:55 - 3:59
    O Atar vai gerar uma lista de tarefas
    personalizada, passo a passo,
  • 3:59 - 4:01
    que informa tudo o que você precisa saber,
  • 4:01 - 4:04
    começando por "onde ir", "como chegar lá",
  • 4:04 - 4:05
    "o que levar com você"
  • 4:05 - 4:06
    e "o que esperar".
  • 4:07 - 4:09
    Você pode fazer uma pergunta
    a qualquer momento
  • 4:09 - 4:11
    e, se o Atar não souber responder,
  • 4:11 - 4:14
    você será conectado com uma pessoa
    de verdade que saiba.
  • 4:15 - 4:16
    Mas o mais empolgante
  • 4:17 - 4:20
    é que ajudamos as organizações
    humanitárias e de serviços
  • 4:20 - 4:24
    a coletar os dados e as análises
    necessárias para entender
  • 4:24 - 4:28
    as diferentes necessidades
    dos recém-chegados em tempo real.
  • 4:28 - 4:29
    Isso muda o jogo.
  • 4:30 - 4:34
    Já fizemos uma parceria com o ACNUR
    para fornecer essa tecnologia no Canadá
  • 4:34 - 4:38
    e, em nosso trabalho, realizamos
    campanhas em árabe, inglês,
  • 4:38 - 4:41
    francês, crioulo e espanhol.
  • 4:42 - 4:45
    Quando falamos sobre
    a questão dos refugiados,
  • 4:45 - 4:47
    nos concentramos na estatística oficial
  • 4:47 - 4:51
    de 65,8 milhões de pessoas
    deslocadas à força em todo o mundo.
  • 4:52 - 4:55
    Mas a realidade é muito maior do que isso.
  • 4:55 - 5:00
    Até 2050, haverá
    mais 140 milhões de pessoas
  • 5:00 - 5:04
    que correm o risco de serem deslocadas
    devido à degradação ambiental.
  • 5:04 - 5:09
    E hoje, isso é hoje,
    há quase 1 bilhão de pessoas
  • 5:09 - 5:12
    que já vivem em favelas
    e assentamentos ilegais.
  • 5:13 - 5:15
    Reassentamento e integração
  • 5:15 - 5:18
    são uns dos maiores
    desafios de nosso tempo.
  • 5:19 - 5:23
    Nossa esperança é que o Atar
    possa ajudar todos os recém-chegados.
  • 5:24 - 5:28
    Nossa esperança é que o Atar
    possa ampliar os esforços existentes
  • 5:29 - 5:31
    e aliviar a pressão sobre
    uma rede de segurança social
  • 5:31 - 5:34
    que já está tensionada além da imaginação.
  • 5:35 - 5:38
    Mas o mais importante para nós
  • 5:38 - 5:42
    é que nosso trabalho ajude
    a restaurar os direitos e a dignidade
  • 5:42 - 5:46
    que os refugiados perdem ao longo
    do reassentamento e da integração,
  • 5:46 - 5:50
    dando-lhes os recursos
    de que necessitam para se ajudarem.
  • 5:50 - 5:51
    Obrigado.
  • 5:51 - 5:54
    (Aplausos) (Vivas)
Title:
O que os refugiados precisam para começar uma vida nova
Speaker:
Muhammed Idris
Description:

A cada minuto, 20 novas pessoas são deslocadas pela mudança climática, crise econômica e instabilidade política, segundo o ACNUR. Como podemos ajudá-las a superar as barreiras para começar uma vida nova? O residente do TED Muhammed Idris está liderando uma equipe de tecnólogos, pesquisadores e refugiados para desenvolver o Atar, o primeiro assistente virtual operado por inteligência artificial que orienta as pessoas deslocadas a se reassentarem, ajudando a restaurar seus direitos e sua dignidade. "Ter acesso às informações e aos recursos certos pode ser a diferença entre a vida e a morte", afirma Idris.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
06:07

Portuguese, Brazilian subtitles

Revisions