Portuguese Untertitel

← Os últimos membros vivos duma espécie extinta — Jan Stejskal

Einbettcode generieren
22 Sprachen

Zeige Revision 4 erzeugt am 09/15/2020 von Margarida Ferreira.

  1. Nas savanas do Quénia, duas fêmeas
    de rinocerontes brancos do norte,
  2. Nájin e Fatu,
  3. pastam a erva com satisfação.
  4. Na altura da publicação deste vídeo,
  5. são os dois últimos rinocerontes brancos
    do norte conhecidos do planeta.
  6. Esta espécie está funcionalmente extinta
  7. — sem um macho, Nájin e Fatu
    não podem reproduzir-se.
  8. Porém, ainda há esperança de ressuscitar
    o rinoceronte branco do norte.

  9. Como assim?
  10. A história começa há 50 anos,

  11. quando os caçadores furtivos caçaram
    ilegalmente milhares de rinocerontes
  12. por toda a África,
    na mira dos seus cornos.
  13. Isso, aliado a guerras civis
    no território deles
  14. dizimou as populações
    de rinocerontes brancos do norte.
  15. Os conservacionistas preocupados
    começaram a tentar criá-los em cativeiro,
  16. nos anos 70,
  17. colhendo e armazenando
    o sémen dos machos.
  18. Mas só nasceram quatro rinocerontes
    neste ambicioso programa de criação
  19. Nájin e a sua filha Fatu
    foram os dois últimos.
  20. Em 2014, os conservacionistas descobriram
    que nenhuma delas pode ter crias.

  21. Embora Nájin tenha procriado Fatu,
    sofre de fraqueza nas patas traseiras
  22. e voltar a ter uma gravidez
    pode ser prejudicial para a sua saúde.
  23. Entretanto, Fatu tem uma mucosa
    uterina degenerada.
  24. O último rinoceronte branco do norte
    macho, Sudan, morreu em 2018.
  25. Mas havia um lampejo de esperança:
    a reprodução artificial.
  26. Sem machos vivos e sem fêmeas
    aptas a terem uma gravidez,
  27. isto, no mínimo, é um processo
    complicado e arriscado.
  28. Embora os cientistas tenham armazenado
    esperma, terão de colher os ovos
  29. — um processo complexo que exige
    a sedação da fêmea durante duas horas.
  30. Depois, têm de criar um embrião viável
    no laboratório,
  31. uma coisa que nunca foi feita
    e ninguém sabia fazer.
  32. E isso era apenas o início,
  33. uma mãe substituta
    de outra espécie de rinocerontes
  34. teria de levar o embrião a bom termo.
  35. As fêmeas de espécies parentes
    do rinoceronte branco do sul

  36. são fundamentais para criar
    um embrião de rinoceronte em laboratório
  37. e as principais candidatas
    para mães de substituição.
  38. Os rinocerontes brancos do norte e do sul
    divergiram há cerca de um milhão de anos
  39. em espécies separadas — embora
    estreitamente aparentadas.
  40. Habitam regiões diferentes e têm
    traços físicos ligeiramente diferentes.
  41. Numa coincidência feliz

  42. várias fêmeas
    de rinocerontes brancos do sul
  43. precisaram de tratamento para
    problemas de reprodução
  44. e os investigadores puderam colher
    ovos durante esse tratamento.
  45. No zoo Dvůr Králové, em outubro de 2015,
  46. especialistas de Berlim
    começaram a colher ovos
  47. dos rinocerontes brancos do sul
  48. e enviaram-nos para Avantea,
  49. um laboratório
    de reprodução animal, em Itália.
  50. Aí, os cientistas desenvolveram
    e aperfeiçoaram
  51. uma técnica para criar um embrião viável.
  52. Depois de dominarem a técnica,

  53. os investigadores extraíram ovos
    a Nájun e a Fatu, a 22 de agosto de 2019
  54. e enviaram-nos para Itália.
  55. Três dias depois,
    fertilizaram os ovos com esperma
  56. de um rinoceronte branco macho do norte.
  57. Ao fim de mais uma semana, dois dos ovos
    entraram na fase de desenvolvimento
  58. em que o embrião pode ser congelado
    e preservado para o futuro.
  59. Outra colheita em dezembro de 2019
    produziu mais um embrião.
  60. A partir do início de 2020, o plano
    é recolher ovos de Nájin e de Fatu
  61. três vezes por ano, se elas
    continuarem de boa saúde.
  62. Entretanto, os investigadores
    estão à procura

  63. de mães de substituição adequadas
    nos rinocerontes brancos do sul
  64. — idealmente que já tenham tido
    uma gravidez de bom termo.
  65. O plano de maternidade de substituição
    é de certo modo um ato de fé
  66. — os rinocerontes brancos do sul
    e do norte cruzaram-se
  67. durante o último período glacial
    e, mais recentemente, em 1977,
  68. por isso os investigadores estão otimistas
    de que um rinoceronte branco do sul
  69. poderá levar a bom termo a gestação
    de um rinoceronte branco do norte.
  70. A gravidez das duas espécies
    demora o mesmo tempo.
  71. Mesmo assim, transferir um embrião
    para um rinoceronte é complicado
  72. por causa da forma do colo uterino.
  73. O objetivo final, que demorará décadas,

  74. é criar uma população de procriação
    de rinocerontes brancos do norte
  75. na sua gama original.
  76. Os estudos sugerem que temos amostras
    de indivíduos suficientes
  77. para recriar uma população
    com a diversidade genética
  78. que as espécies tinham há cem anos.
  79. Embora a especificidade
    desta operação seja única,

  80. há cada vez mais espécies
    ameaçadas de extinção,
  81. o que cria uma arena
    para perguntas importantes:
  82. temos a responsabilidade de tentar
    recuperar essas espécies,
  83. sobretudo quando isso
    foi provocado pelas ações humanas?
  84. Há limites para o esforço
    que devemos fazer
  85. para salvar animais ameaçados de extinção?