Return to Video

Você consegue ser mais esperto que a falácia que enganou uma geração de médicos? - Elizabeth Cox

  • 0:10 - 0:11
    Oh a humanidade!
  • 0:14 - 0:16
    Ah... humanidade...
  • 0:16 - 0:19
    Está um caos,
    mas eu não posso ignorar.
  • 0:20 - 0:24
    É 1843, e um debate está
    ficando intenso entre médicos
  • 0:24 - 0:28
    sobre um dos mais comuns motivos de
    morte entre as mulheres: febre puerperal.
  • 0:28 - 0:32
    Febre puerperal ataca
    dentro de alguns dias após o parto,
  • 0:32 - 0:38
    matando mais de 70% das infectadas -
    e ninguém sabe a causa da doença.
  • 0:38 - 0:42
    O obstetra Charles Meigs tem uma teoria.
  • 0:42 - 0:44
    Depois de observar inflamação abdominal
  • 0:44 - 0:46
    em pacientes que acabam
    desenvolvendo a febre,
  • 0:46 - 0:51
    ele afirma que esta inflamação
    é a causa da febre puerperal.
  • 0:51 - 0:55
    Muito dos estabelecimentos médicos
    apoiam sua teoria.
  • 0:55 - 0:56
    Ah, para!
  • 0:56 - 1:01
    Eles realmente me deixam sem escolha
    além da de ensiná-los ceticismo.
  • 1:13 - 1:14
    Assim é melhor.
  • 1:15 - 1:22
    Agora, Meigs, seu argumento é baseado
    em uma falácia - a falácia da causa falsa.
  • 1:22 - 1:26
    Correlação não implica em causalidade:
  • 1:26 - 1:29
    Quando dois fenômenos ocorrem
    juntos regularmente,
  • 1:29 - 1:34
    um não necessariamente
    causa o outro.
  • 1:34 - 1:40
    Você diz que mulheres que tem a inflamação
    também têm febre puerperal,
  • 1:40 - 1:44
    portanto a inflamação
    causou a febre.
  • 1:44 - 1:47
    Mas isso não é necessariamente verdade.
  • 1:47 - 1:51
    Sim, sim, a inflamação acontece primeiro,
    depois a febre,
  • 1:51 - 1:55
    então parece que a inflamação
    causa a febre.
  • 1:55 - 2:00
    Mas por essa lógica, já que bebês em geral
    desenvolvem cabelo antes de dentes,
  • 2:00 - 2:04
    crescimento de cabelo deve causar
    crescimento de dentes.
  • 2:04 - 2:06
    E nós sabemos que isto não é verdade,
    certo?
  • 2:06 - 2:08
    Na verdade, não responda.
  • 2:08 - 2:12
    Algumas coisas diferentes
    podem estar acontecendo.
  • 2:12 - 2:17
    Primeiro, é possível que a febre
    e a inflação estejam correlatadas
  • 2:17 - 2:20
    por pura coincidência.
  • 2:20 - 2:26
    Ou, pode ser que haja uma relação causal
    que é o oposto do que você acha -
  • 2:26 - 2:29
    a febre causa a inflamação,
  • 2:29 - 2:32
    ao invés da inflamação
    causar a febre.
  • 2:32 - 2:39
    Ou ambos podem compartilhar uma mesma
    causa subjacente que você não pensou.
  • 2:39 - 2:46
    Se me é permitido, o que você acha
    que causa a inflamação? Nada?
  • 2:46 - 2:50
    Só acontece? Mesmo?
  • 2:50 - 2:54
    Entretém-me um pouco discutindo
    a ideia de um dos seus colegas -
  • 2:54 - 2:57
    Dr. Oliver Wendell Holmes.
  • 2:57 - 3:00
    Eu sei, eu sei,
    você não gosta da teoria dele -
  • 3:00 - 3:03
    você já escreveu
    uma carta cruel sobre isso.
  • 3:03 - 3:06
    Mas vamos dar mais informações
    para seus alunos, pode ser?
  • 3:06 - 3:12
    Holmes notou um padrão: quando
    uma paciente morre de febre puerperal,
  • 3:12 - 3:15
    um médico realiza uma autópsia.
  • 3:15 - 3:19
    Se depois o médico começa a tratar
    uma nova paciente,
  • 3:19 - 3:23
    essa paciente geralmente
    pega a febre.
  • 3:23 - 3:24
    Baseado nesta correlação
  • 3:24 - 3:29
    entre as autópsias de vítimas da febre
    e novas pacientes com a febre,
  • 3:29 - 3:32
    ele propôs uma possível causa.
  • 3:32 - 3:39
    Já que não há evidência de que a autópsia
    causa a febre além desta correlação,
  • 3:39 - 3:44
    ele não chega à conclusão precipitada
    de que a autópsia causa a febre.
  • 3:44 - 3:49
    Em vez disso, ele sugere que médicos
    estão infectando suas pacientes
  • 3:49 - 3:55
    por meio de um contaminador invisível
    nas suas mãos e instrumentos cirúrgicos.
  • 3:55 - 4:01
    Esta ideia afronta a maioria dos médicos,
    que veem a si mesmo como infalíveis.
  • 4:01 - 4:05
    Como Meigs, que se recusa
    a considerar a possibilidade
  • 4:05 - 4:08
    de que ele está envolvido na causa
    da condição de seus pacientes.
  • 4:08 - 4:14
    Seu argumento imperfeito não deixa
    nenhum caminho para investigações futuras-
  • 4:14 - 4:16
    mas o de Holmes deixa.
  • 4:24 - 4:27
    É 1847, e o médico Ignaz Semmelweis
  • 4:27 - 4:30
    reduziu o número de mortes
    por febre puerperal
  • 4:30 - 4:35
    de 12% para 1% em uma clínica através
    da exigência de que toda a equipe médica
  • 4:35 - 4:40
    desinfete suas mãos depois de autópsias
    e entre exames de pacientes.
  • 4:40 - 4:45
    Com esta iniciativa, ele provou a fonte
    contagiosa da febre puerperal.
  • 4:46 - 4:47
    Ha!
  • 4:50 - 4:54
    É 1879, e Louis Pasteur identificou
  • 4:54 - 4:58
    o contaminante responsável
    por muitos casos de febre puerperal:
  • 4:58 - 5:01
    a bactéria Hemolytic streptococcus.
  • 5:04 - 5:07
    Hmm, minhas batatas fritas estão frias.
  • 5:07 - 5:11
    Deve ser porque meu sorvete derreteu.
Titel:
Você consegue ser mais esperto que a falácia que enganou uma geração de médicos? - Elizabeth Cox
Sprecher:
Elizabeth Cox
Beschreibung:

Veja aula completa: https://ed.ted.com/lessons/can-you-outsmart-the-fallacy-that-fooled-a-generation-of-doctors-elizabeth-cox

É 1843, e um debate sobre uma das causas mais comuns de morte de mulheres está ficando intenso: febre puerperal - ninguém sabe o que causa a doença. Um médico observou que pacientes com inflamação desenvolve febre puerperal, e portanto ele acredita que a inflamação causa a febre. Qual é o problema deste argumento? Elizabeth Cox investiga a falácia da causa falsa e como analisar afirmações com ceticismo.

Aula por Elizabeth Cox, dirigida por TOGETHER.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Projekt:
TED-Ed
Duration:
05:14

Untertitel in Portuguese, Brazilian

Revisionen