Portuguese Untertitel

← Como os casais que trabalham podem apoiar-se melhor

É possível ter uma carreira E um casamento de sucesso. A professora e autora Jennifer Petriglieri explica como nós e o nosso parceiro podemos fazer escolhas que funcionem durante a nossa vida juntos — sem sacrificar as nossas ambições individuais.

Einbettcode generieren
39 Sprachen

Zeige Revision 10 erzeugt am 12/26/2020 von Margarida Ferreira.

  1. Pode parecer estranho
    trazer o trabalho à tona.
  2. mas, quando nos apaixonamos,
  3. consideramos frequentemente
    o que esse amor vai fazer na nossa vida
  4. e os nossos trabalhos e carreiras
    são uma grande parte disso.
  5. [Como funcionamos]

  6. [Patrocinado pela Dropbox]

  7. Todos os casais que trabalham
    enfrentam escolhas difíceis,

  8. e isso pode parecer um jogo de soma zero.
  9. Um deles obtém a proposta
    de um emprego noutra cidade,
  10. e, por isso, o outro precisa
    de deixar o seu trabalho e recomeçar.
  11. Um deles assume o cuidado dos filhos
    e põe a sua carreira de lado
  12. para o outro poder beneficiar
    de uma excitante promoção,
  13. Um deles ganha e outro perde.
  14. E enquanto alguns casais que fazem
    essas escolhas se sentem satisfeitos,
  15. outros arrependem-se amargamente.
  16. Qual é a diferença?
  17. Eu passei os últimos sete anos
    a estudar casais que trabalham

  18. e descobri que não é
    o que os casais escolhem,
  19. mas como eles escolhem.
  20. Claro, não podemos controlar
    as circunstâncias,
  21. nem temos escolhas ilimitadas.
  22. Mas para os que têm,
  23. como é que os casais
    podem fazer boas escolhas?
  24. Primeiro: comecem cedo, muito antes
    de haver alguma coisa para decidir.

  25. No momento em que enfrentam
    uma escolha difícil,
  26. digamos, se um de vocês
    deve voltar para a escola
  27. ou aceitar uma oferta de emprego,
  28. é tarde demais.
  29. As boas escolhas começam por entender
    de antemão as ambições um do outro,
  30. ambições como querer
    começar um pequeno negócio,
  31. viver perto de uma família grande,
  32. poupar dinheiro
    para comprar uma casa
  33. ou ter outro filho.
  34. Muitos de nós avaliamos a nossa vida

  35. comparando o que já fizemos
    com as nossas ambições.
  36. Quando a distância é pequena,
  37. sentimo-nos contentes.
  38. Quando é grande,
    sentimo-nos infelizes.
  39. E se fazemos parte de um casal,
  40. atribuímos, pelo menos, uma parte
    da culpa ao nosso parceiro.
  41. Reservem tempo,
    pelo menos, duas vezes por ano

  42. para discutirem as vossas ambições.
  43. Sou adepta de ter um registro escrito
    dessas conversas.
  44. Pôr tudo no papel com o nosso parceiro
  45. ajuda-nos a recordar
    as ambições de cada um
  46. e que estamos a escrever juntos
    a história da nossa vida.
  47. A seguir: eliminar as opções

  48. que não se coadunam com a vida
    que querem viver juntos.
  49. Podem fazê-lo acordando quais os limites
  50. que tornam mais fáceis
    as escolhas difíceis.
  51. Limites como a geografia:
    Onde gostarias de viver e trabalhar?
  52. Tempo: quantas horas de trabalho por
    semana tornará possível a vida familiar?
  53. Viagens: quantas viagens de trabalho
    conseguem aguentar?
  54. Depois de acordados os limites,
    as escolhas tornam-se fáceis
  55. quando confrontados com oportunidades
    que estão fora desses limites.
  56. "Eu não vou àquela entrevista de emprego,
  57. "porque acordámos
    em não querer sair do país."
  58. Ou "Vou reduzir as minhas horas extras
  59. "porque acordámos que é essencial
    passar mais tempo com a família."
  60. Os casais que entendem
    as ambições um do outro

  61. e estão comprometidos
    com limites fortes
  62. podem rejeitar oportunidades atrativas
    sem se arrependerem.
  63. Se forem confrontados com uma hipótese
    que se encontra dentro desses limites
  64. o que importa é que as escolhas que fazem
  65. mantenham o casal em equilíbrio
    ao longo do tempo
  66. mesmo que não estejam de acordo
    com as ambições um do outro
  67. nesse momento.
  68. Se as escolhas forem orientadas
    apenas por um deles

  69. ou se um deles apoia mais
    as ambições do outro,
  70. desenvolver-se-á um desequilíbrio de poder
  71. Descobri que esse desequilíbrio
  72. é a razão do fracasso
    da maioria dos casais que trabalham.
  73. Com a continuação,
    fartamo-nos de ser um apoio
  74. e não um parceiro.
  75. Para evitar isso,

  76. acompanhem as vossas decisões
    ao longo do tempo.
  77. Ao contrário das ambições e limites,
  78. não há necessidade de ter um registo
    detalhado de todas decisões que tomam.
  79. Basta manter uma conversa aberta
    sobre como cada um de vocês se sente capaz
  80. de tomar decisões que vos afetam a ambos.
  81. Como vão saber se escolheram bem?

  82. Um mal-entendido comum
  83. é que só se pode saber
    qual é a escolha certa em retrospetiva.
  84. E talvez seja verdade
    que julgamos a vida ao contrário,
  85. mas temos de o viver para a frente.
  86. Descobri que os casais que olham
    para trás, para uma escolha boa
  87. não o fazem apenas
    por causa do resultado final;
  88. fizeram-no porque essa escolha
    os capacitou individualmente e como casal
  89. enquanto o fizeram.
  90. Não foi o que eles escolheram,
  91. foi que eles estavam
    a escolher deliberadamente,
  92. e isso fê-los sentir-se
    mais próximos e mais livres juntos.