YouTube

Teniu un compte YouTube?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtítols

← Como encontrar a pessoa que vos pode ajudar a progredir no trabalho

Obtén el codi d'incrustació
27 llengües

Showing Revision 10 created 12/26/2018 by Margarida Ferreira.

  1. Era a primavera de 1988

  2. quando tive um momento "eureca!".
  3. Na minha primeira mesa redonda
  4. — para quem não sabe,
  5. a mesa redonda era uma expressão
    muito utilizada em Wall Street
  6. para descrever o processo
    de avaliação do final do ano
  7. para analistas, associados,
    vice-presidentes, directores gerais.
  8. Era o processo em que eles
    eram analisados à porta fechada
  9. em volta da mesa, ou seja, a mesa redonda.
  10. Toda a gente era colocada numa categoria
  11. — escalão do topo, médio e baixo —
  12. que depois era traduzida
    numa variedade de bónus
  13. que seriam atribuídos a cada profissional.
  14. Era a primeira vez que lá estava
    e, tal como observei,
  15. havia um secretário, a pessoa responsável
  16. por registar o resultado da conversa.
  17. Outras pessoas na sala
    tinham a responsabilidade
  18. de apresentar os casos
    de todos os candidatos.
  19. E havia outros convidados
    que teriam de comentar
  20. à medida que era apresentada
    a posição de um candidato.
  21. Para mim, era interessante
    que essas outras pessoas
  22. eram pessoas com cargos superiores
    aos das pessoas que eram analisadas
  23. e, teoricamente, tinham tido
    algum contacto com esses candidatos.
  24. Eu estava entusiasmada por estar
    na mesa redonda pela primeira vez,

  25. pois eu sabia que o meu processo
    iria passar pelo mesmo
  26. e que o meu bónus iria ser decidido
    da mesma forma,
  27. por isso, queria saber como funcionava.
  28. Mas, mais importante ainda,
  29. eu queria compreender
    como é que este conceito de meritocracia
  30. que todas as empresas com que eu falava
    após deixar a escola de gestão
  31. estava a ser defendido.
  32. Sempre que falava com uma empresa,
  33. diziam: "A nossa cultura,
    o nosso processo é uma meritocracia.
  34. "A forma de avançares nesta organização,
    é seres inteligente,
  35. "baixares a cabeça, trabalhares no duro.
  36. "Assim, vais direta ao topo."
  37. Ora esta era a minha oportunidade
    de ver como funcionava.
  38. Enquanto o processo iniciava,

  39. ouvi o secretário proferir
    o nome da primeira pessoa.
  40. "Joe Smith."
  41. A pessoa responsável
    por apresentar o caso de Joe fez isso.
  42. A três quartos do caminho
    alguém interrompeu e disse:
  43. "Este é um candidato óptimo, excepcional,
  44. "tem óptimas aptidões analíticas
    e quantitativas.
  45. "É uma super estrela."
  46. O secretário disse:
  47. "Parece que o Joe
    deve ir para o escalão de topo."
  48. A segunda pessoa, Mary Smith.
  49. A meio da apresentação alguém disse:
    "Uma candidata sólida.
  50. "Nada de especial,
    mas muito competente."
  51. O secretário disse:
  52. "Parece que a Mary
    deve estar no escalão do meio."
  53. Depois alguém disse: "Arnold Smith."
  54. Antes de a pessoa poder apresentar
    o caso do Arnold, alguém disse:
  55. "Um desastre, um desastre.
  56. "O rapaz não faz a mínima ideia.
    Não pode servir de modelo."
  57. E antes de o caso ser apresentado,
  58. o secretário disse:
  59. "Parece que o Arnold
    deve ir para o escalão de baixo."
  60. Foi nesse momento
    que apertei as minhas pérolas

  61. (Risos)

  62. e pensei: "Quem vai falar por mim?"

  63. "Quem vai falar por mim?"
  64. Nesse momento apercebi-me
    que a ideia de meritocracia
  65. que todas as organizações anunciam
    é de facto um mito.
  66. Não é possível haver um ambiente
    100 % meritocrático
  67. quando existe o elemento humano
    envolvido na equação de avaliação
  68. pois, por definição,
  69. isso torna-a subjectiva.
  70. Eu sabia que naquele momento
    alguém teria de estar ali fechado
  71. a defender-me,
  72. a apresentar informações de uma forma
  73. que os outros responsáveis na mesa
  74. fossem decidir em meu benefício.
  75. Foi uma lição realmente interessante.

  76. Depois disse para mim:
    "Quem é essa pessoa?
  77. "O que chamar a essa pessoa?"
  78. Enquanto pensava nos termos
    de negócios mais populares,
  79. disse: "Uau, essa pessoa
    não pode ser um mentor,
  80. "porque a função de um mentor
    é dar conselhos individualizados,
  81. "especificamente para nós
    e para as nossas aspirações de carreira.
  82. "São aqueles que nos mostram,
    o bom, o mau e o feio
  83. "sem tabus".
  84. Ok. A pessoa não pode ser
    um paladino ou um advogado,
  85. pois ninguém tem, necessariamente,
    de gastar dinheiro
  86. para ser o paladino de alguém.
  87. Não se é necessariamente
    convidado para a sala
  88. à porta fechada, por se ser advogado.
  89. Só quase dois anos depois

  90. me apercebi do que chamar
    a essa pessoa.
  91. Eu estava a falar
    na Universidade do Michigan
  92. aos candidatos de mestrado,
  93. a falar das lições que eu aprendera
  94. depois de três curtos anos em Wall Street
  95. até que me ocorreu.
  96. Eu disse: "Ah, esta pessoa
    que defende os nossos interesses
  97. "ou, como gosto de dizer,
    leva o nosso papel para a sala,
  98. "a pessoa que investe em nós
  99. "o seu precioso capital político e social,
  100. "essa pessoa que vai
    bater na mesa por nós,
  101. "é um promotor.
  102. "É um promotor."
  103. Depois disse para mim:

  104. "Então, como é que arranjamos um promotor?
  105. "Sinceramente,
    porque é que é preciso um?"
  106. Sinceramente, precisamos de um promotor,
  107. pois como vemos,
  108. não existe um único processo de avaliação
    em que eu consiga pensar,
  109. seja na academia, nos cuidados de saúde,
    nos serviços financeiros,
  110. um único que não tenha o elemento humano.
  111. O que quer dizer
    que há uma medida de subjectividade.
  112. Há uma medida de subjectividade
    em quem apresenta o caso.
  113. Há uma medida de subjectividade
  114. no que dizem
  115. e como interpretam quaisquer
    dados objectivos que tenhamos.
  116. Há uma medida de subjectividade
    na forma como dizem o que dizem
  117. para influenciar o resultado.
  118. Por isso, temos de garantir
    que essa pessoa que está a falar,
  119. esse promotor,
  120. tem o nosso melhor interesse no coração
  121. e tem o poder de conseguir
    o que quer que seja para nós,
  122. de o conseguir à porta fechada.
  123. Agora, perguntam-me sempre:

  124. "Como é que arranjamos um?"
  125. Francamente, o ideal é quando essa pessoa
    nos vê num contexto e decide:
  126. "Eu vou fazê-lo por ti.
  127. "Vou garantir que és bem sucedido."
  128. Mas muitos de nós nesta sala
    sabemos que não é bem assim.
  129. Por isso, vou apresentar-vos
    este conceito de divisa

  130. e falar-vos do impacto da vossa aptidão
    para arranjar um promotor.
  131. Há dois tipos de moeda
    em qualquer ambiente:
  132. a moeda do desempenho
    e a moeda do relacionamento.
  133. A moeda do desempenho
    é a moeda que é gerada
  134. pela vossa entrega ao que vos foi exigido
  135. e um pouco mais ainda.
  136. Cada vez que cumprem uma tarefa
    acima das expectativas,
  137. geram moeda do desempenho.
  138. Funciona exactamente
    como a bolsa de valores.
  139. Sempre que uma empresa diz publicamente
  140. que vão entregar 25 cêntimos por acção
  141. e essa companhia entrega
    40 cêntimos por acção,
  142. essas acções vão subir e as nossas também.
  143. A moeda do desempenho
    é valiosa por três razões.
  144. Número um, vai tornar-nos conhecidos.
  145. vai criar a nossa reputação.
  146. Número dois, vamos ser pagos e promovidos
  147. muito cedo na nossa carreira
  148. muito cedo em qualquer contexto.
  149. E número três, poderá atrair um promotor.
  150. Porquê?
    Porque uma moeda de desempenho forte
  151. eleva o nosso nível de visibilidade
    no ambiente, como já disse,
  152. de tal modo que um promotor
    pode sentir-se seduzido por nós.
  153. Porquê?
    Porque toda a gente adora uma estrela.
  154. Mas, se estiverem numa situação
  155. em que não têm um promotor,
  156. há boas notícias.
  157. Lembrem-se, podem exercer
    o vosso poder e pedir um.
  158. Mas é aqui que a outra moeda
    se torna mais importante.

  159. A moeda do relacionamento,
  160. esta moeda é a moeda que é gerada
  161. pelos investimentos que fazemos
    nas pessoas do nosso ambiente,
  162. os investimentos que fazemos
    nas pessoas do nosso ambiente.
  163. Não podemos pedir a alguém
    para usar a sua influência pessoal
  164. arduamente conquistada
    em nosso favor,
  165. se nunca interagimos com ela.
  166. Não vai acontecer.
  167. Por isso, é importante investir tempo
    para nos ligarmos, nos dedicarmos
  168. e conhecermos as pessoas
    do nosso ambiente
  169. e mais importante, darmos-lhes
    a oportunidade para nos conhecerem.
  170. Pois, quando nos conhecerem,
  171. quando as abordarmos,
    maior será a probabilidade
  172. de lhes pedirmos
    para serem o nosso promotor,
  173. e eles irão responder afirmativamente.
  174. Então, se concordarem comigo
    em como têm de ter um promotor,

  175. vamos falar de como
    identificar um promotor.
  176. Se estiverem à procura de um promotor,
  177. ele têm de ter
    três características principais.
  178. Número um,
    têm de ter um lugar na mesa das decisões,
  179. têm de ter exposição ao vosso trabalho
  180. para terem credibilidade à porta fechada,
  181. e têm de ter algum sumo
  182. ou, dito de outra maneira,
    têm de ter algum poder.
  183. É muito importante
    que tenham estas três características.
  184. Quando tiverem identificado a pessoa,

  185. como é que a pedem?
  186. O guião é assim:
  187. "Jim, estou muito interessado
    em ser promovido este ano.
  188. "Tive um ano espectacular
  189. "e não posso mostrar mais nada
    a esta organização para provar o meu valor
  190. "ou a minha disposição para esta promoção,
  191. "mas tenho consciência que alguém
    tem de estar à porta fechada
  192. "a defender-me e a bater na mesa.
  193. "Você conhece-me, conhece o meu trabalho
    e está ciente da opinião dos clientes.
  194. "Espero que se sinta confortável
    em defender-me."
  195. Se o Jim vos conhecer
  196. e se tiverem algum tipo
    de relacionamento com ele,
  197. a probabilidade de ele dizer sim, é maior.
  198. E, se ele disser sim,
  199. ele vai empenhar-se
    em consegui-lo por vocês.
  200. Mas há sempre uma hipótese
    de o Jim dizer não.

  201. Se ele disser não, na minha opinião,
  202. só poderá haver três razões para isso.
  203. Primeiro, pode pensar que não tem
    conhecimento suficiente do vosso trabalho
  204. para ter credibilidade real
    à porta fechada
  205. de ter impacto e eficácia.
  206. A segunda razão para ele dizer não
  207. pode ser por vocês pensarem
    que ele tem a energia para o fazer,
  208. mas ele sabe
    que não tem o poder para o fazer
  209. e não vai admiti-lo na vossa conversa.
  210. (Risos)

  211. E a terceira razão para ele dizer não

  212. é ele não gostar de vocês.
  213. Ele não gosta de vocês.
  214. (Risos)

  215. Isso pode acontecer.

  216. Mas até isso vai ser
    uma informação valiosa para vocês
  217. que vos ajudará a reformular
    a vossa próxima conversa com um promotor,
  218. poderá reduzir-lhe um pouco o impacto.
  219. Não vos posso dizer a importância
    de ter um promotor.

  220. É a relação crítica na vossa carreira.
  221. Honestamente, é bom ter um mentor.
  222. Vocês conseguem sobreviver
    bastante tempo
  223. na vossa carreira sem um mentor,
  224. mas não vão subir
    em nenhuma organização sem um promotor.
  225. É tão importante
    que se devem perguntar regularmente:
  226. "Quem leva o meu papel para a sala?
  227. "Quem leva o meu papel para a sala?"
  228. Se não conseguirem saber
    quem leva o vosso papel para a sala,
  229. eu digo-vos para concentrarem
    parte das vossas energias de trabalho
  230. no investimento num promotor,
  231. pois vai ser crítico para o vosso sucesso.
  232. Antes de terminar, deixem-me dizer

  233. aos futuros promotores presentes na sala:
  234. Se foram convidados para entrar na sala,
  235. saibam que têm um lugar naquela mesa,
  236. e, se têm um lugar naquela mesa,
  237. têm a responsabilidade de falar.
  238. Não desperdicem tempo a preocupar-se
    com o que os outros vão dizer
  239. ou se eles estão a pensar ou não
    que vocês estão a apoiar alguém
  240. só porque se parecem convosco.
  241. Se alguém for merecedor da vossa moeda,
  242. gastem-na.
  243. Uma das coisas que aprendi
    depois de décadas em Wall Street
  244. foi que a forma de aumentar
    o nosso poder é dá-lo,
  245. e a nossa voz está no coração.
  246. (Aplausos)

  247. A nossa voz está no coração
    do nosso poder.

  248. Usem-na.
  249. Muito obrigada.

  250. (Aplausos)