YouTube

Teniu un compte YouTube?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtítols

← Como uma árvore produz 40 tipos diferentes de frutas

Obtén el codi d'incrustació
23 llengües

Showing Revision 8 created 09/27/2019 by Elena Crescia.

  1. Cem anos atrás,
  2. havia 2 mil variedades de pêssegos,
  3. quase 2 mil variedades de ameixas
  4. e quase 800 variedades conhecidas
    de maçãs sendo cultivadas nos EUA.
  5. Hoje, resta apenas uma fração
    dessas variedades
  6. e as que restaram estão ameaçadas
    pela industrialização da agricultura,
  7. por doenças e pela mudança climática.
  8. Entre as variedades ameaçadas,
    estão a Blood Cling,

  9. um pêssego de polpa vermelha trazido
    às Américas por missionários espanhóis
  10. e cultivado pelos povos
    nativos americanos por séculos;
  11. um damasco trazido por imigrantes chineses
  12. que vieram trabalhar
    na ferrovia transcontinental americana;
  13. e inúmeras variedades de ameixas
    oriundas do Oriente Médio
  14. e trazidas por imigrantes italianos,
    franceses e alemães.
  15. Nenhuma dessas variedades
    é natural dos EUA.
  16. Na verdade, quase todas as nossas
    árvores frutíferas foram trazidas,
  17. inclusive macieiras,
    pessegueiros e cerejeiras.
  18. Mais do que alimento,
    essas frutas trazem em si a nossa cultura.
  19. Foram as pessoas que
    cuidaram delas e as cultivaram,
  20. que as valorizaram tanto
    que as trouxeram consigo pra cá
  21. como forma de conexão com seus lares,
  22. e assim as passaram adiante
    e as compartilharam.
  23. De várias formas,
    essas frutas são nossa história.
  24. Tive bastante sorte de aprender sobre isso
  25. através de uma obra de arte que criei,
    chamada "Árvore das 40 Frutas".
  26. A Árvore das 40 Frutas é uma única árvore

  27. que produz 40 variedades
    de frutas do tipo drupa,
  28. ou seja, pêssegos, ameixas,
    damascos, nectarinas e cerejas,
  29. todas sendo produzidas numa única árvore.
  30. Ela é uma árvore de aparência normal
    durante a maior parte do ano,
  31. até a primavera, quando ela produz
    flores rosas e brancas
  32. e, no verão, ela produz
    um monte de frutas diferentes.
  33. Comecei o projeto por razões
    puramente artísticas:
  34. eu queria mudar a realidade do cotidiano
  35. e, pra ser sincero,
  36. criar um momento surpreendente
    em que as pessoas vissem a árvore
  37. florescer com diversas cores,
    carregada com diferentes frutas.
  38. Eu criei a Árvore das 40 Frutas
    através do processo de enxertia.

  39. Coleto cortes de galhos
    no inverno, armazeno
  40. e depois os enxerto nas extremidades
    dos galhos na primavera.
  41. Na verdade, quase todas
    as árvores frutíferas são enxertadas
  42. porque a semente de uma árvore frutífera
    é uma variante genética da árvore-mãe.
  43. Quando obtemos uma variedade
    de que realmente gostamos,
  44. nós a difundimos tirando
    um corte de uma árvore
  45. e enxertando-o em outra.
  46. É meio que loucura pensar
  47. que cada maçã do tipo MacIntosh
    veio de uma árvore
  48. que foi enxertada diversas vezes
    de uma geração à outra,
  49. mas também significa
  50. que as árvores frutíferas não podem
    ser preservadas via semente.
  51. Conheço a técnica de enxerto
    há muito tempo.
  52. Meu bisavô ganhava a vida
    com enxertia em pomares de pêssegos
  53. no sudoeste da Pennsylvania.
  54. Eu não o conheci,
  55. mas, sempre que alguém
    mencionava o nome dele,
  56. fazia questão de dizer
  57. que ele fazia enxertia como se fosse
    uma habilidade mágica ou mística.
  58. Escolhi o número 40
    para o nome "Árvore das 40 Frutas"

  59. pois é encontrado em todas
    as religiões ocidentais
  60. não como um quantificador
    e nem como o infinito,
  61. mas como um número
    que vai além da contagem.
  62. É uma magnanimidade.
  63. Mas o problema é que, quando comecei,
  64. não encontrei 40 variedades
    diferentes dessas frutas,
  65. apesar do fato de eu morar
    no estado de Nova Iorque,
  66. que, 100 anos atrás,
  67. era uma dos maiores
    produtores dessas frutas.
  68. Então, enquanto eles cortavam
    pomares de pesquisa
  69. e pomares antigos,
  70. eu recolhia galhos deles e os enxertava
    em árvores em meu canteiro.
  71. A Árvore das 40 Frutas era assim
    quando foi plantada pela primeira vez,

  72. e ficou assim seis anos depois.
  73. Com certeza, não é um esporte
    de gratificação imediata.
  74. (Risos)

  75. Leva um ano para sabermos
    se uma enxertia foi bem-sucedida,

  76. leva de dois a três anos
    para sabermos se produzirá frutas
  77. e leva até oito anos para criarmos
    somente uma das árvores.
  78. Cada uma das variedades enxertadas
    na Árvore das 40 Frutas

  79. tem forma e cor ligeiramente diferentes.
  80. Notei que, criando uma linha do tempo
    de quando todas as árvores floresciam,
  81. comparando umas com as outras,
  82. posso basicamente moldar e programar
    a aparência da árvore na primavera.
  83. É assim que elas ficam no verão.
  84. Elas produzem frutas de junho a setembro.
  85. Primeiro vêm as cerejas,
    depois os damascos,
  86. ameixas asiáticas, nectarinas e pêssegos,
  87. e acho que esqueci uma no meio...
  88. (Risos)

  89. Embora seja uma obra de arte
    que fica do lado de fora da galeria,

  90. conforme o projeto segue,
  91. tem sido uma forma
    de conservação por meio da arte.
  92. Como me pediram para criar
    essas árvores em locais diferentes,
  93. eu pesquiso variedades
  94. oriundas ou historicamente
    cultivadas nesses locais
  95. e as seleciono localmente
    e faço a enxertia delas na árvore
  96. para que se torne um histórico
    agricultural da área.
  97. Aí, o projeto pegou na internet.

  98. Foi assustador e uma honra,
    ao mesmo tempo.
  99. A parte assustadora foram todas
    as tatuagens que vi
  100. de imagens da Árvore das 40 Frutas.
  101. (Risos)

  102. Eu pensava: "Por que
    fazer isso com seu corpo?"

  103. (Risos)

  104. E a parte honrosa foram
    todos os pedidos que recebi

  105. de pastores, rabinos e padres
  106. para que eu usasse a árvore
    como parte central de seus cultos.
  107. Aí, ela virou meme...
  108. A resposta a essa pergunta
    é "Espero que não..."
  109. [Seu casamento é como
    a Árvore das 40 Frutas?]

  110. (Risos)

  111. Como todo bom meme,

  112. esse levou a uma entrevista
    no "Weekend Edition" da NPR
  113. e, como professor universitário,
    achei que era o meu auge,
  114. tipo, que era o pico da minha carreira.
  115. Mas nunca se sabe quem está ouvindo a NPR.
  116. Algumas semanas depois da entrevista,
  117. recebi um e-mail do
    Departamento de Defesa dos EUA.
  118. A Agência de Projetos de Pesquisa
    Avançada de Defesa me convidou
  119. para conversarmos
    sobre inovação e criatividade,
  120. e o assunto rapidamente evoluiu
    para segurança alimentar.
  121. Vejam, nossa segurança nacional
    depende da nossa segurança alimentar.
  122. Agora que criamos essas monoculturas
  123. em que se cultivam apenas algumas
    variedades de cada cultura,
  124. se algo acontece com apenas
    uma dessas variedades,
  125. o impacto pode ser drástico
    em nossa cadeia de alimentos.
  126. E o segredo para manter
    nossa segurança alimentar
  127. é preservar nossa biodiversidade.
  128. Cem anos atrás, isso era feito
    por qualquer pessoa que tivesse um jardim
  129. ou algumas árvores no quintal
  130. e cultivava variedades que eram
    repassadas dentro da família.
  131. Essas são ameixas de apenas uma Árvore
    das 40 Frutas numa semana de agosto.

  132. Anos após iniciado o projeto,
  133. fiquei sabendo que tenho uma
    das maiores coleções dessas frutas
  134. no leste dos Estados Unidos,
  135. o que, como artista,
    é completamente assustador.
  136. (Risos)

  137. Mas, de diversas formas,
    eu não sabia o que eu tinha.

  138. Descobri que a maior parte
    das variedades que tinha
  139. eram variedades herdadas,
  140. as que eram cultivadas antes de 1945,
  141. o que é visto como o despontar
    da industrialização da agricultura.
  142. Muitas das variedades tinham
    milhares e milhares de anos.
  143. Ao descobrir o quanto eram raras,
  144. fiquei obcecado por tentar preservá-las,
  145. e a arte se tornou o meio para isso.
  146. Eu visitava pomares antigos
    antes de serem cortados
  147. e guardava partes específicas dos troncos
    que possuíam a enxertia original.
  148. Comecei a criar molduras
    de flores e folhas
  149. para criar espécimes herbários.
  150. Comecei a sequenciar o DNA.
  151. Acima de tudo, me propus
    a preservar a história
  152. através dessas gravuras em placas
    de cobre e descrições tipográficas.
  153. Para contar a história
    do pêssego Geroge IV,
  154. que criou raiz entre dois edifícios
    na cidade Nova Iorque...
  155. alguém passa, prova
  156. e ele se torna uma importante
    variedade comercial no século 19,
  157. por ser bastante saboroso.
  158. Aí, ele simplesmente desaparece,
  159. porque ele não é fácil de transportar
    e não se adapta à agricultura moderna.
  160. Mas percebi que a história
    precisa ser contada.

  161. Ao contar essa história,
  162. ela precisa incluir
    a experiência de poder tocar,
  163. cheirar e provar essas variedades.
  164. Então, decidi criar um pomar
  165. para tornar essas frutas
    disponíveis para o público,
  166. com o objetivo de colocá-las em locais
    com a maior densidade de pessoas
  167. que pudesse encontrar.
  168. Naturalmente, comecei a procurar
    por um terreno na cidade de Nova Iorque...
  169. (Risos)

  170. o que, pensando agora,
    pareceu algo bem ambicioso

  171. e provavelmente a razão de ninguém
    retornar minhas ligações e mensagens...
  172. (Risos)

  173. Até que, enfim, quatro anos depois,
    recebi resposta de Governors Island.

  174. A Governors Island é uma antiga base naval

  175. que foi doada à cidade
    de Nova Iorque em 2000.
  176. Toda essa terra estava disponível
  177. a apenas cinco minutos
    de barca de Nova Iorque.
  178. Eles me convidaram para criar um projeto
    que estamos chamando de "Pomar Aberto",
  179. que trará de volta variedades de frutas
  180. que não são cultivadas na cidade
    há mais de 100 anos.
  181. Já em andamento atualmente,
  182. o Pomar Aberto terá
    50 árvores multienxertadas
  183. que possuem 200 variedades
    de frutas herdadas e antigas.
  184. São variedades oriundas
    ou historicamente cultivadas na região,
  185. como a maçã Early Strawberry,
  186. que surgiu na Rua 13
    com a Terceira Avenida.
  187. Como uma árvore frutífera
    não pode ser preservada por semente,
  188. o Pomar Aberto funcionará
    como um banco genético vivo,
  189. ou como um arquivo dessas frutas.
  190. Como a Árvore das 40 Frutas,
    ele será empírico, e também simbólico.
  191. Principalmente, vai convidar as pessoas
    a participarem em termos de conservação
  192. e a aprenderem mais sobre seus alimentos.
  193. Devido à Árvore das 40 Frutas,

  194. recebi milhares e milhares de e-mails
    de pessoas fazendo perguntas do tipo:
  195. "Como se planta uma árvore?"
  196. Com menos de 3% da população
  197. tendo qualquer vínculo direto
    com a agricultura,
  198. o Pomar Aberto vai convidar as pessoas
  199. para participarem num programa público
    e participar de oficinas,
  200. para aprender a fazer enxertia, cultivar,
    podar e colher de uma árvore;
  201. para participar de mostras
    de degustações e de floração;
  202. trabalhar com chefs locais
    para aprender a usar essas frutas
  203. e recriar pratos centenários
  204. para os quais muitas dessas variedades
    foram especificamente criadas.
  205. Para além do espaço físico do pomar,
  206. será um livro de receitas
    que compila todas essas receitas.
  207. Será um guia de campo
  208. que fala sobre as características
    e especificidades dessas frutas,
  209. sua origem e sua história.
  210. Por ter crescido em uma fazenda,
    achei que entendia a agricultura,

  211. e não queria ter nada a ver com ela.
  212. Aí, me tornei artista...
  213. (Risos)

  214. Mas tenho que admitir que é algo
    que está dentro do meu próprio DNA.

  215. E acho que não sou o único.
  216. Cem anos atrás, éramos
    muito mais apegados à cultura,
  217. ao cultivo e à história
    dos nossos alimentos,
  218. e fomos separados disso.
  219. O Pomar Aberto proporciona a oportunidade
  220. não apenas de nos reconectarmos
    a esse passado desconhecido,
  221. mas é uma forma de pensarmos como
    poderia ser o futuro dos nossos alimentos.
  222. Obrigado.

  223. (Aplausos)