YouTube

Teniu un compte YouTube?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtítols

← Como os casais mantêm uma forte ligação sexual ao longo da vida

Obtén el codi d'incrustació
30 llengües

Showing Revision 17 created Yesterday by Margarida Ferreira.

  1. Estou sentada num bar
    com um par de amigos
  2. literalmente, um par, um casal.
  3. São pais de duas crianças,
  4. sete cursos académicos em conjunto,
  5. grandes "nerds", pessoas fantásticas,
  6. mas a precisar de uma boa noite de sono.
  7. E eles fizeram-me aquela pergunta
  8. que me perguntam mais
    do que qualquer outra.
  9. Começam: "Então, Emily,
  10. "como é que os casais
  11. "mantêm uma forte ligação sexual
    ao longo de décadas?"
  12. Eu sou educadora sexual,
  13. por isso os meus amigos
    fazem perguntas deste género
  14. e também sou uma "nerd",
    tal como os meus amigos.
  15. Adoro ciência!
  16. Por isso, posso dar-lhes
    algo parecido com uma resposta.
  17. Na verdade, a investigação
    feita tem fortes indícios
  18. de que os casais capazes de manter
    uma forte ligação sexual,
  19. ao longo do tempo,
  20. têm duas coisas em comum.
  21. Antes de dizer aos meus amigos
    o que são estas duas coisas,
  22. tenho de lhes dizer o que não têm.
  23. Estes casais não fazem sexo
    com muita frequência.
  24. Quase nenhum de nós faz sexo
    com muita frequência.
  25. Estamos ocupados.
  26. Também não são casais que,
    obrigatoriamente,
  27. façam sexo de forma aventureira.
  28. Um estudo recente demonstrou
  29. que, nos casais que mais evidenciam
  30. ter uma ligação sexual
    forte e satisfatória,
  31. o factor que mais se evidenciou,
  32. não foi que tipo de sexo têm,
  33. nem com que frequência,
    nem onde o fazem,
  34. mas sim, se se aconchegavam
    depois de fazer sexo.
  35. E não são obrigatoriamente casais
  36. que estejam sempre desesperados
    por estarem juntos.
  37. Alguns deles são.
  38. Eles experienciam o que os investigadores
    chamam "desejo espontâneo,"
  39. que aparece sem mais nem menos.
  40. Erika Moen, a cartunista
    que ilustrou o meu livro,
  41. desenha o desejo espontâneo
    com um relâmpago nos genitais.
  42. Bum! O desejo aparece vindo do nada.
  43. Isso é uma forma absolutamente
    saudável e normal,
  44. de experimentar desejo sexual.
  45. Mas há outra forma saudável
    de experimentar desejo sexual.
  46. É chamado "desejo ractivo".
  47. Enquanto o desejo espontâneo surge
    em antecipação ao prazer,
  48. o desejo reactivo surge
    como resposta ao prazer.
  49. Há uma terapeuta sexual em New Jersey
    chamada Christine Hyde,
  50. que me ensinou uma ótima metáfora
    que usa com os seus clientes:
  51. Ela diz: "Imagina que a tua melhor amiga
    te convida para uma festa.
  52. "Tu dizes que sim,
    porque é a tua melhor amiga e é uma festa.
  53. "Depois, à medida que a data se aproxima,
  54. "começas a pensar:
    'Ah, ter de enfrentar o trânsito,
  55. " 'arranjar uma ama.
  56. " 'Será que vou mesmo querer
    arranjar-me para a festa,
  57. " 'ao fim de uma longa semana?'
  58. "Mas lá vestes a tua roupa de festa
    e apareces na festa.
  59. "E o que acontece?
  60. "Divertes-te imenso na festa.
  61. "Se estás a divertir-te na festa,
  62. "estás a fazer as coisas bem.
  63. "No que respeita à ligação sexual,
    é a mesma coisa.
  64. "Vestes a tua roupa de festa,
  65. "tratas de contratar uma ama,
  66. "deitas o teu corpo na cama,
  67. "deixas a tua pele tocar
    na do teu companheiro
  68. "e deixas o teu corpo
    acordar e relembrar.
  69. " 'Ah, certo! Eu gosto disto.
  70. " 'Eu gosto desta pessoa!' "
  71. Isto é desejo reactivo.
  72. E é chave para entender casais que mantêm
    uma longa e forte ligação sexual,
  73. ao longo do tempo.
  74. Porque — e esta é a parte
    em que digo aos meus amigos
  75. as duas características dos casais
    que mantêm uma forte ligação sexual —
  76. primeiro, eles têm uma forte relação
    de amizade na base da sua relação.
  77. Especificamente, têm uma forte confiança.
  78. A investigadora de relacionamento
    e terapeuta, Sue Johnson,
  79. que desenvolve uma terapia
    focada nas emoções,
  80. vai ao âmago da questão
    com esta pergunta:
  81. "Estás aí para mim?"
  82. Especialmente:
  83. "Estás presente e disponível
    emocionalmente para mim?"
  84. Os amigos estão ali um para o outro.
  85. Uma característica.
  86. A segunda característica,
    é que eles dão prioridade ao sexo.
  87. Eles decidem que é importante
    para a sua relação.
  88. Eles escolhem pôr de lado
    todas as outras coisas,
  89. que podiam estar a fazer.
  90. Cuidar das crianças
    que deviam estar a educar
  91. cuidar dos empregos,
  92. dar atenção a outros membros da família,
  93. a outros amigos com quem gostam
    de passar algum tempo.
  94. Deus os livre de quererem
    ver televisão ou ir dormir.
  95. Deixar de fazer tudo isso
    e criar um espaço protegido,
  96. onde tudo o que fazem
    é deitar o corpo na cama
  97. e deixar a pele tocar
    na pele do companheiro.
  98. Então é isso:
  99. Os melhores amigos,
  100. dão prioridade ao sexo.
  101. Então, eu disse aos meus amigos no bar:
  102. "Os melhores amigos
    dão prioridade ao sexo".
  103. Falei-lhes da festa,
  104. Disse-lhes para porem a pele
    junto da pele do companheiro.
  105. E um deles começa:
  106. "Aaah!"
  107. (Risos)
  108. E eu disse: "Ok,
    então esse é o teu problema."
  109. (Risos)
  110. A dificuldade dela não era não querer
    ir à festa, necessariamente.
  111. Se a dificuldade é a falta
    de desejo espontâneo para a festa,
  112. sabemos o que fazer:
  113. Vestimos a roupa de festa
    e aparecemos na festa.
  114. Se nos divertimos na festa,
    estamos a fazê-lo bem.
  115. A dificuldade dela
    é que tratava-se duma festa
  116. em que ela não gostava
    do que havia para comer.
  117. A música não era a sua favorita,
  118. e ela não estava segura
    de que se sentia bem,
  119. na sua relação com as pessoas
    que estavam na festa.
  120. Isto acontece frequentemente:
  121. Boas pessoas que se amam
    chegam a detestar o sexo.
  122. Se esses casais procurarem
    terapia sexual,
  123. o terapeuta provavelmente
    vai pedir-lhes que se levantem
  124. e se afastem o mais possível
    um do outro,
  125. até se sentirem confortáveis.
  126. O membro do casal menos interessado
    afastar-se-á uns seis metros.
  127. E a verdadeira dificuldade
    é que o espaço não está vazio!

  128. Está cheio de semanas,
    ou meses, ou mais,
  129. com: "Não me estás a ouvir,"
  130. "Eu não sei o que se passa comigo,
  131. "mas as tuas críticas não estão a ajudar,"
  132. "Se me amasses, tu podias..."
    "Tu não me dás atenção."
  133. Anos, talvez, destes sentimentos difíceis.
  134. No meu livro, usei uma metáfora patética
  135. descrevendo sentimentos difíceis
    como ouriços sonolentos,
  136. que alimentamos até encontrarmos
    uma forma de os podermos libertar,
  137. voltando-nos para eles
    com compaixão e carinho.
  138. Nos casais que têm dificuldades
    em manter uma ligação sexual,
  139. a distância entre eles está povoada
    destes ouriços sonolentos.
  140. Acontece em todas as relações
    que duram tempo suficiente.

  141. Todos nós alimentamos um grupo
    de ouriços sonolentos,
  142. entre nós e o nosso mais que tudo.
  143. A diferença entre casais que mantêm
    uma forte ligação sexual
  144. e os que não a mantêm,
  145. não é que eles não vivam esses
    sentimentos difíceis e dolorosos.
  146. É que eles lidam
    com esses sentimentos difíceis,
  147. com gentileza e compaixão,
  148. para poderem libertá-los
  149. e encontrar o caminho
    de volta um para o outro.
  150. Os meus amigos no bar
  151. são confrontados com a pergunta
    por detrás da pergunta.
  152. Não é "Como mantemos uma forte ligação?"
  153. mas "Como encontramos
    o nosso caminho de volta?"
  154. E, sim, a ciência responde
    a essa pergunta,
  155. mas em 25 anos, como educadora sexual,
  156. aprendi uma coisa:
  157. é que, às vezes, Emily,
  158. menos ciência e mais ouriços.
  159. Então falei-lhes de mim.
  160. Passei muitos meses a escrever um livro
  161. sobre o bem-estar sexual da mulher.
  162. Eu pensava em sexo,
    todo o dia, todos os dias.
  163. Mas estava tão ansiosa com o projecto
    que tinha zero — zero! — interesse
  164. em fazer sexo.
  165. Depois, passei meses
    a viajar por todo lado,
  166. a falar com alguém que me ouvisse
  167. sobre o bem-estar sexual da mulher.
  168. E assim que cheguei a casa,
  169. apareci na festa,
    deitei o meu corpo na cama,
  170. deixei a minha pele tocar
    na pele do meu companheiro.
  171. Mas estava tão exausta e sobrecarregada
    que só chorei e adormeci.
  172. Os meses de isolamento
    alimentaram medos, solidão
  173. e frustração.
  174. Tantos ouriços.
  175. O meu melhor amigo,
    a pessoa que amo e admiro,
  176. parecia-me distante de mim
    um milhão de quilómetros.
  177. Mas...

  178. ele continuava ali para mim.
  179. Fossem quais fossem os sentimentos
    difíceis que existissem,
  180. ele tratou-os com carinho e compaixão.
  181. Nunca virou as costas.
  182. E qual era a segunda característica,
  183. dos casais que mantêm
    uma sólida ligação sexual?
  184. Eles incluem o sexo
    nas suas prioridades.
  185. Decidem que é importante
    para a sua relação,
  186. que farão o que for preciso
  187. para encontrar o caminho
    de volta a essa ligação.
  188. Eu disse aos meus amigos
  189. o que a terapeuta sexual e investigadora,
    Peggy Kleinplatz pergunta:
  190. "Que tipo de sexo vale a pena desejar?"
  191. O meu companheiro e eu olhámos
    para a qualidade da nossa relação
  192. e o que ela trouxe para a nossa vida.
  193. Olhámos para a família
    de ouriços sonolentos
  194. que eu introduzi na nossa casa.
  195. E decidimos que valia a pena.
  196. Nós decidimos, escolhemos fazer
    o que fosse preciso
  197. para encontrar o nosso caminho.
  198. Virámo-nos para esses ouriços
    sonolentos,
  199. para esses sentimentos difíceis,
  200. com gentileza e compaixão
  201. e libertámo-los,
  202. para podermos encontrar
    o nosso caminho de volta
  203. para o que é importante
    na nossa relação.
  204. Esta não é a história
    que habitualmente nos contam
  205. sobre como funciona o desejo sexual,
    numa relação longa.
  206. Mas eu não consigo pensar
    em nada mais romântico,
  207. nada mais sensual,
  208. do que ser escolhida como uma prioridade,
  209. porque essa ligação
    é importante o suficiente.
  210. Mesmo depois de eu ter introduzido
  211. todos esses sentimentos difíceis
    na nossa relação.
  212. Como manter uma forte relação sexual
    ao longo do tempo?

  213. Olhamos nos olhos do nosso melhor amigo,
  214. e continuamos a escolher
    encontrar o nosso caminho de volta.
  215. Obrigada.

  216. (Aplausos)