Portuguese subtítols

← O que se segue após a tragédia? O perdão

Obtén el codi d'incrustació
25 llengües

Showing Revision 5 created 01/29/2018 by Isabel Vaz Belchior.

  1. Azim Khamisa: Nós, seres humanos,
    temos momentos que definem a nossa vida.
  2. Podem ser momentos felizes
  3. e podem ser momentos devastadores,
  4. trágicos.
  5. Mas, se nesses momentos decisivos,
    formos capazes de tomar a decisão certa,
  6. estamos a criar um milagre,
  7. em nós e nos outros.
  8. Tariq, o meu único filho,
    estudava na universidade,

  9. era bondoso, generoso,
    um bom escritor e um bom fotógrafo,
  10. ambicionava trabalhar
    para a National Geographic,
  11. estava noivo de uma linda mulher,
  12. entregava "pizzas"
    às sextas e aos sábados.
  13. Foi atraído para uma morada falsa
  14. por um gangue juvenil.
  15. E, numa iniciação do gangue,
  16. um rapaz de 14 anos disparou
    contra ele e matou-o.
  17. A morte repentina, sem sentido,
  18. de um ser humano
    inocente e desarmado.
  19. O luto esmagador de uma família.
  20. A confusão total quando tentamos absorver
    uma realidade nova e hedionda.
  21. É desnecessário dizer que a minha vida
    parou de forma trágica.
  22. Uma das coisas mais difíceis
    que tive de fazer
  23. foi ligar à mãe dele,
    que vivia noutra cidade.
  24. Como é que se diz a uma mãe
    que nunca vai voltar a ver o filho,
  25. nem ouvi-lo a rir,
  26. nem abraçá-lo?
  27. Eu sou muçulmano sufi praticante.

  28. Medito duas horas por dia.
  29. E, por vezes,
  30. em situações de profundo trauma
    e de profunda tragédia,
  31. surge uma faísca de claridade.
  32. O que eu obtive da minha meditação
  33. é que havia vítimas
    dos dois lados da arma.
  34. É fácil ver que o meu filho
    foi vítima do rapaz de 14 anos,
  35. é mais difícil ver que ele foi vítima
    da sociedade norte-americana.
  36. O que leva à questão,
    quem é a sociedade norte-americana?
  37. Bom, são vocês e sou eu,
  38. porque não acredito
    que a sociedade seja apenas um acaso.
  39. Acho que somos todos responsáveis
    pela sociedade que criámos.
  40. E crianças a matarem crianças
    não é próprio de uma sociedade civil.
  41. Nove meses após a morte do Tariq,

  42. criei a fundação Tariq Khamisa,
  43. e o nosso mandamento
    na fundação Tariq Khamisa
  44. é impedir que crianças matem crianças,
  45. quebrando o ciclo da violência juvenil.
  46. São fundamentalmente
    três mandamentos.
  47. O primeiro e prioritário
    é salvar a vida de crianças.
  48. É importante fazê-lo.
    Diariamente, perdemos imensas.
  49. O segundo mandamento
  50. é enfatizar as escolhas corretas
    para que as crianças não escorreguem
  51. e escolham a vida dos gangues, do crime,
    das drogas, do álcool e das armas.
  52. E o terceiro mandamento é ensinar
    os princípios da não-violência,
  53. da empatia, da compaixão,
  54. do perdão.
  55. Comecei com a premissa muito simples

  56. de que a violência
    é um comportamento adquirido.
  57. Nenhuma criança nasce violenta.
  58. Se aceitarmos isso como uma verdade,
  59. a não-violência também pode ser
    um comportamento adquirido,
  60. mas temos de o ensinar,
  61. porque as crianças não o vão aprender
  62. através da osmose.
  63. Pouco depois do que aconteceu,
    fui ter com este meu irmão,

  64. com a atitude de que ambos
    tínhamos perdido um filho.
  65. O meu filho morrera.
  66. Ele perdera o neto
    para uma prisão de adultos.
  67. Pedi-lhe que se juntasse a mim.
  68. Como podem ver, 22 anos depois,
    ainda estamos juntos aqui,
  69. porque não posso trazer
    o Tariq de volta,
  70. e tu não podes tirar o Tony da prisão,
  71. mas uma coisa que podemos fazer
  72. é certificarmo-nos de que mais nenhum
    jovem da nossa comunidade
  73. acaba morto ou na prisão.
  74. Com a graça de Deus,

  75. a fundação Tariq Khamisa
    tem tido sucesso.
  76. Temos um modelo de escola seguro
  77. com quatro programas diferentes.
  78. O primeiro é uma assembleia
    comigo e com o Ples.
  79. Somos apresentados,
  80. o neto deste homem matou o filho deste,
  81. e aqui estão, juntos.
  82. Temos programas educativos
    em sala de aula.
  83. Temos um programa de tutoria depois
    das aulas e criámos um clube de paz.
  84. Sinto-me feliz por partilhar convosco
  85. que, para além de ensinarmos
    os princípios da não-violência,
  86. diminuímos as suspensões
    e expulsões em 70%,
  87. o que é imenso.
  88. (Aplausos)

  89. É imenso.

  90. Cinco anos depois da morte do Tariq

  91. e para eu poder completar
    a minha viagem do perdão,
  92. fui visitar o jovem
    que matou o meu filho.
  93. Ele tinha 19 anos.
  94. E lembro-me desse encontro.
  95. Ele tem 37 anos, ainda está preso.
  96. Nesse primeiro encontro,
    olhámo-nos olhos nos olhos.
  97. Olho para os olhos dele,
    ele olha para os meus.
  98. Olho para os olhos dele à procura
    de um assassino, mas não encontro.
  99. Foi ao mergulhar nos olhos dele
  100. e ao tocar na humanidade dele
    que percebi
  101. que a faísca dentro dele
    não era diferente da minha
  102. ou de qualquer pessoa aqui.
  103. Eu não contava com isso.
    Ele tinha remorsos.
  104. Era estruturado. Tinha boas maneiras.
  105. E eu percebi que o meu perdão
    o tinha mudado.
  106. Assim, deem as boas-vindas
    ao meu irmão, Ples.

  107. (Aplausos)

  108. Ples Felix: O Tony é filho único
    da minha única filha.

  109. Ele nasceu
  110. quando ela tinha apenas 15 anos.
  111. A maternidade é o trabalho
    mais complicado do mundo.
  112. Não há outro trabalho mais difícil
    do que educar outro ser humano
  113. e ter a certeza de que está
    seguro, protegido
  114. e bem posicionado
    para ter sucesso na vida.
  115. O Tony experienciou muita violência
    na vida enquanto criança.
  116. Viu um dos primos favoritos
  117. a ser morto num tiroteio
    de armas automáticas
  118. e no envolvimento de gangues
    em Los Angeles.
  119. Ficou traumatizado
    de todas as formas possíveis.
  120. Ele veio viver comigo.
  121. Quis certificar-me de que tinha tudo
    que um garoto precisa
  122. para ter sucesso.
  123. Mas, numa noite em particular,

  124. anos após estar comigo
  125. e lutar vigorosamente
    para tentar ter sucesso
  126. e conseguir atingir as minhas expectativas
    de se tornar alguém com sucesso,
  127. nesse dia em particular,
    o Tony fugiu de casa nessa noite,
  128. foi ter com pessoas que julgava
    serem amigos dele,
  129. deram-lhe drogas e álcool
  130. e levaram-no
  131. porque ele pensava
    que o fariam sentir-se despreocupado.
  132. Mas tudo o que fizeram
    foi aumentar a ansiedade dele
  133. e criar um...
  134. um pensamento mais mortal da sua parte.
  135. Foi convidado para um roubo,
  136. deram-lhe uma pistola de 9 mm.
  137. E, na presença de um rapaz de 18 anos
    que mandava nele
  138. e de dois rapazes de 14 anos
    que julgava serem amigos dele,
  139. disparou mortalmente
    contra Tariq Khamisa,
  140. o filho deste homem.
  141. Não há palavras,
    não há palavras

  142. que exprimam a perda de um filho.
  143. Quando percebi que o meu neto
    era responsável
  144. pela morte desse ser humano,
  145. fui para o canto das orações,
    tal como os meus pais me ensinaram
  146. e comecei a rezar e a meditar.
  147. Uma coisa que eu e o Mr. Khamisa
    temos em comum
  148. e não sabíamos, para além de sermos
    maravilhosos seres humanos,
  149. é que ambos meditamos.
  150. (Risos)

  151. Foi-me muito útil

  152. porque me ofereceu uma oportunidade
    de procurar orientação e claridade
  153. sobre como eu queria apoiar este homem
    e a família dele nesta perda.
  154. E, claro, as minhas preces foram ouvidas,
  155. porque fui convidado para um encontro
    em casa deste homem,
  156. conheci a mãe e o pai dele,
  157. a esposa, o irmão, a família
  158. e tive a oportunidade de estar
    com pessoas de fé guiadas por este homem,
  159. que, no espírito do perdão,
  160. encontrou um caminho,
    deu-me a oportunidade
  161. de me provar valioso e partilhar
    com ele e com as crianças
  162. a importância de percebermos
    a necessidade de ter um adulto responsável
  163. a focar-se na nossa raiva,
    de uma forma saudável,
  164. aprender a meditar.
  165. Os programas que temos
    na fundação Tariq Khamisa
  166. oferecem diferentes ferramentas
    para as crianças guardarem
  167. e as poderem carregar
    por toda a vida.
  168. É importante que as nossas crianças
    percebam que os adultos afetuosos
  169. se preocupam e as apoiam,
  170. mas também é importante
    que as crianças aprendam a meditar,
  171. a serem pacíficas,
  172. a estarem focadas
  173. e a interagir
    com as outras crianças
  174. de uma forma generosa, empática
  175. e amável.
  176. Falta-nos mais amor na sociedade
  177. e é por isso que aqui estamos,
    para partilhar o amor com crianças,
  178. porque as nossas crianças
    vão abrir-nos caminho,
  179. porque todos nós
    iremos depender das nossas crianças.
  180. Quando envelhecermos e nos reformarmos,
    elas vão substituir-nos no mundo,
  181. então, quanto mais amor lhes ensinarmos,
    mais elas nos vão retribuir.
  182. Abençoados sejam. Obrigado.

  183. (Aplausos)

  184. AK: Nasci no Quénia,
    fui educado em Inglaterra,

  185. e aqui o meu irmão pertence
    à Igreja Batista.
  186. Eu sou muçulmano sufi.
  187. Ele é afro-americano,
  188. mas digo-lhe sempre
    que sou eu o afro-americano do grupo.
  189. Eu nasci em África. Tu não.
  190. (Risos)

  191. Eu naturalizei-me como cidadão.

  192. Sou cidadão de primeira geração.
  193. E senti que, como cidadão norte-americano,
  194. eu tenho de assumir a minha parte
    da responsabilidade
  195. pelo assassínio do meu filho.
  196. Porquê? Porque foi morto
    por uma criança norte-americana.
  197. Vocês podiam tomar a posição
    de que ele matou o meu único filho
  198. e, por isso, devia ser pendurado
    no poste mais alto.
  199. Como é que isso melhora a sociedade?
  200. Sei que se devem estar a questionar
    sobre o que aconteceu ao jovem.

  201. Ele ainda está na prisão.
    Fez 37 anos no dia 22 de setembro,
  202. mas eu tenho boas notícias.
  203. Temos estado a tentar
    que ele saia, há 12 anos.
  204. Finalmente, vai juntar-se a nós
    daqui a um ano.
  205. (Aplausos)

  206. Estou muito entusiasmado
    para que ele se junte a nós,

  207. porque sei que o salvámos,
  208. mas ele vai salvar dezenas
    de milhares de estudantes
  209. quando partilhar o seu testemunho
  210. nas escolas onde estamos presentes
    de forma regular.
  211. Quando ele disser "Quando tinha 11 anos,
    juntei-me a um gangue.
  212. "Quando tinha 14, assassinei
    o filho do Sr. Khamisa.
  213. "Passei imensos anos na prisão.
  214. "Estou aqui para vos dizer
    que não vale a pena",
  215. acham que as crianças
    vão ouvir a voz dele?
  216. Sim, por causa da entoação
  217. que pertence a uma pessoa
    que premiu o gatilho.
  218. E sei que ele quer
    voltar atrás no tempo.
  219. Claro, não é possível.
  220. Gostaria que fosse.
    Teria o meu filho de volta.
  221. O meu irmão teria o neto de volta.
  222. Acho que isso demonstra
    o poder do perdão.
  223. Qual é a lição a tirar daqui?

  224. Quero terminar a nossa sessão
    com esta citação,
  225. que é a base do meu quarto livro,
  226. que, incidentalmente,
  227. tem um prefácio escrito pelo Tony.
  228. Então é assim: a boa vontade
    sustentada cria a amizade.
  229. Não fazemos amigos
    a bombardeá-los, pois não?
  230. Fazemo-lo a expandir a boa vontade.
  231. Isso tem de ser óbvio.
  232. Então, a boa vontade sustentada
    cria a amizade,
  233. a amizade sustentada
    cria confiança,
  234. a confiança sustentada cria empatia,
  235. a empatia sustentada
    cria compaixão
  236. e a compaixão sustentada cria paz.
  237. A isto chamo a fórmula da paz.
  238. Começa com boa vontade, amizade,
    confiança, empatia, compaixão e paz.
  239. Mas as pessoas perguntam
    como se expande a boa vontade

  240. à pessoa que assassinou o nosso filho?
  241. Eu digo-lhes que isso faz-se
    através do perdão.
  242. E como é evidente,
    funcionou para mim.
  243. Funcionou para a minha família.
  244. O milagre é que funcionou para o Tony,
  245. para a família dele,
  246. pode funcionar para vocês
    e para as vossas famílias,
  247. para Israel e a Palestina,
    para a Coreia do Norte e do Sul,
  248. para o Iraque, o Afeganistão,
    o Irão e a Síria.
  249. Pode funcionar
    para os Estados Unidos da América.
  250. Vou deixar-vos com isto, minhas irmãs

  251. e alguns irmãos...
  252. (Risos)

  253. A paz é possível.

  254. Como é que eu sei?
  255. Porque eu estou em paz.
  256. Muito obrigado. "Namaste".

  257. (Aplausos)